Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Infecção urinária durante a gravidez pode prejudicar mãe e filho

Frequentemente assintomática nas gestantes, essa condição aumenta o risco de o bebê nascer antes da hora

Por Naira Hofmeister, Silvia Lisboa e Juan Ortiz - Atualizado em 14 fev 2020, 18h23 - Publicado em 5 out 2017, 10h06

As infecções urinárias afetam até 10% das grávidas e cobram extrema cautela nessa fase. Isso porque estão entre as causas de parto prematuro. “A gestação interfere na imunidade da mulher e provoca alterações anatômicas, com o útero pressionando a bexiga. São fatores que predispõem à cistite”, explica a ginecologista Mariana Maldonado, do Rio de Janeiro.

Mulheres com histórico de infecções prévias devem alertar seus médicos para monitorar as bactérias na urina durante todo o pré-natal. A cistite nesse período pode não apresentar sintomas, o que dificulta a detecção.

Feito o diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado imediatamente: existem antibióticos seguros para gestantes. Nos quadros assintomáticos, há ainda a opção de recorrer a suplementos de vitamina C, que deixam a urina e a região menos propícias à proliferação dos micro-organismos.

4 dicas para prevenir a infecção urinária na gestação

1. Mantenha o pré-natal em dia
A recomendação é fazer exames de urina pelo menos três vezes nesse período.

2. Converse com seu médico
Compartilhe se sentir ardência ou dor ao urinar para apurar o motivo.

3. Não adie a ida ao banheiro
Fazer xixi com maior regularidade reduz o risco de infecções na região.

4. Invista nas frutas cítricas e outras fontes de vitamina C
Esse nutriente torna a urina mais alcalina, algo desconfortável para bactérias.

Publicidade