saudeLOGO Created with Sketch.

Ginseng contra o cansaço crônico

A planta potencializa a produção de energia do organismo. Mas não está liberada para todo mundo. Saiba mais

O ginseng foi a primeira planta a ter o princípio de ação plenamente descrito pela ciência, lá pelos anos 1970. Na época, os cientistas observaram que ele aumentava o calibre dos vasos sanguíneos. Hoje, sabe-se que também potencializa a produção de energia do organismo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece as propriedades restauradoras e estimulantes das moléculas que, na verdade, formam o sistema de defesa da planta. Ela é usada principalmente para combater fadiga crônica, estresse e falta de concentração.

Só que o ginseng não deve ser usado por grávidas, por quem sofre de hipertensão, taquicardia ou está na menopausa. Outra coisa: não é indicado consumir mais do que 8 gramas de ginseng nem tomar por mais de dois meses seguidos. A planta interage com antidiabéticos, anticoagulantes e estimulantes. Em excesso, causa dor de cabeça, insônia e nervosismo.

Se não fizer parte desses grupos, experimente uma infusão usando 1 colher de sobremesa da raiz fatiada e 1 xícara de água. Tome 1 xícara pela manhã, em jejum, e outra à tarde.