Clique e assine com até 72% de desconto

Dose dupla contra a arritmia

Um novo tratamento promete atacar a fibrilação atrial de duas formas ao mesmo tempo, diminuindo o risco de derrames

Por André Biernath Atualizado em 5 jul 2019, 13h18 - Publicado em 8 fev 2017, 09h01

Cientistas da Universidade de Navarra bolaram e colocaram à prova uma nova solução terapêutica para a mais comum das arritmias – a fibrilação atrial, marcada por descompassos nos batimentos do coração, ainda eleva em cinco vezes o risco de um derrame. A ideia testada foi aliar dois procedimentos em uma intervenção só.

Leia mais: Café da manhã previne doenças cardíacas

Primeiro, os médicos dão choques na veia pulmonar, que leva sangue para o músculo cardíaco. “Assim, silenciamos impulsos elétricos anormais”, explica o cardiologista Gabriel Ballesteros, líder do estudo.

  • Depois, eles instalam um dispositivo que tampa o apêndice atrial esquerdo, local onde se formam 90% dos coágulos (veja o infográfico abaixo). “A estratégia beneficiaria pessoas que não podem tomar remédios anticoagulantes, o principal tratamento hoje”, analisa o médico Silas Galvão Filho, da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo.

    fibrilacao-nova-solucao
    (Ilustração: Pedro Hamdan) Ilustração:
    Continua após a publicidade
    Publicidade