saudeLOGO Created with Sketch.

Doenças que afetam o coração podem ser herdadas?

Veja o impacto dos fatores genéticos no desenvolvimento de males que ameaçam a saúde cardiovascular

Os genes influenciam nessa história, sim. Por isso, quem tem pais ou irmãos que passaram por algum perrengue cardiovascular está mais sujeito a entrar nas estatísticas das vítimas de infarto, derrame e afins. Se olharmos para alguns dos fatores de risco, fica mais fácil entender como o DNA pode atrapalhar a vida do coração. Parte da culpa pela pressão alta, por exemplo, vem de “defeitos” no código genético que desequilibram a produção das substâncias capazes de relaxar ou contrair as artérias.

Leia também: Por que eu devo me preocupar com os problemas do coração?

Já no quesito colesterol, muitos dos que convivem com taxas estratosféricas dessa partícula no sangue herdaram essa tendência dos pais. Nos casos mais sérios, essa complicação ganha o nome de hipercolesterolemia familiar. Estima-se que um em cada 500 brasileiros tenha o distúrbio, sendo que boa parte não tem a menor ideia do perigo que está correndo. Está escrito no DNA dessas pessoas que seu fígado não vai ser capaz de recolher do sangue todo o colesterol. excedente. Pra piorar, o intestino não elimina a contento o contingente fabricado pelo próprio corpo. Como você pode perceber, sobra material para formar as placas que levam à obstrução das artérias.

Agora, é bom que se diga: seja qual for a falha no código genético, medidas como calçar os tênis para vencer o sedentarismo e parar de se entupir de comida repleta de gordura, açúcar e sal certamente diminuem o impacto dos problemas que podem abalar o coração.