saudeLOGO Created with Sketch.

Chega o aplicativo de celular que ajuda a medir a glicose no diabético

Junto com um sensor no braço, o app dispensa as picadas no dedo dos exames de glicemia e facilita a monitoração do diabetes. Conheça o FreeStyle LibreLink

O FreeStyle Libre ganhou destaque no controle do diabetes anos atrás. Era só colocar um pequeno sensor no braço e, então, passar um leitor por perto para checar a própria glicemia em tempo real – e sem picadas. Pois esse sistema, da empresa Abbott, foi aprimorado com o desenvolvimento de um aplicativo de celular, que acaba de desembarcar no Brasil.

Funciona assim: em vez de recorrer ao tal leitor, o usuário baixa gratuitamente o app FreeStyle LibreLink no seu telefone (disponível nos sistemas Android e iOS). Aí é só aproximar o celular do sensor – que é instalado pelo próprio paciente no braço – e ver a quantas anda as suas taxas de açúcar no sangue.

“O aplicativo é mais amigável do que o leitor anterior”, sentencia o endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. De acordo com ele, os gráficos exibidos pela tela do telefone são claros e permitem uma melhor interpretação dos dados.

Aí vem outro ponto positivo. Com o app, fica fácil compartilhar os seus níveis glicêmicos para o médico. Você aperta um botão e pronto (antes, teria que acoplar o leitor em um computador e fazer a transmissão por meio de um site).

Além disso, a inovação faz com que a pessoa ande com uma coisa a menos no bolso. É uma comodidade especialmente bem-vinda para quem tem a mente mais avoada, assim por dizer.

No mais, a dispensa do leitor é sinônimo de economia. O que, convenhamos, conta pontos para um método de monitoramento relativamente caro – e que não está disponível no serviço público.

Atualmente, cada sensor custa 239,90 reais e precisa ser trocado de duas em duas semanas. Ou seja, em um mês, as despesas ficam na casa dos 500 reais. Já o kit com dois sensores e o leitor tradicional sai por 599,70 reais.

De acordo com Couri, o mais bacana do FreeStyle Libre e do aplicativo é visualizar as variações na glicemia em gráficos amigáveis e, a partir daí, tomar medidas que refinam o controle do diabetes. “Isso empodera o paciente. Se for para usar essa tecnologia somente para não furar o dedo, acho caro”, afirma.

Cabe destacar que esse app já estava disponível em outros locais, como na Europa. Lá fora, aliás, há uma versão mais moderna do dispositivo, batizado de Free Style Libre 2.

Entre outras vantagens, ele emite alertas quando a glicemia fica muito abaixo ou acima do adequado. Esses limites podem ser definidos pelo próprio paciente, em conjunto com o médico.

Em resposta à SAÚDE, a assessoria de imprensa da Abbott afirmou que ainda não há uma estimativa de chegada para esse novo produto no Brasil.