Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mitos sobre infecções em bebês

Não faltam equívocos quando o assunto é proteger crianças de até 2 anos de males causados por vírus e bactérias

Por Goretti Tenorio 27 jul 2018, 10h11

É o que se pode concluir de uma pesquisa do Ibope com pais de todas as regiões do Brasil, realizada por iniciativa da Pfizer. Pelo levantamento, persistem crenças como a de que o sereno é causa de gripes e resfriados.

“Embora bem-intencionados, conselhos passados de geração a geração nem sempre são corretos, e as pessoas acabam negligenciando cuidados importantes como lavar as mãos e deixar os ambientes arejados para evitar a propagação de vírus“, comenta Renato Kfouri, presidente de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Preocupa também a velocidade com que circulam nas redes sociais opiniões que colocam em xeque a eficácia de vacinas. Dados como os dos destaques ao lado até incentivaram a criação de uma campanha da SBP: #MAISQUEUMPALPITE. O propósito é reduzir o poder de boatos e esclarecer dúvidas sobre saúde infantil com apoio de fontes seguras, ou seja, os pediatras.

  • Os resultados da pesquisa

    1 mil pais participaram

    30% acreditam que cuidados de higiene são o suficiente para prevenir infecções. Mas e as vacinas, por exemplo?!

    Continua após a publicidade

    Mais de 60% acham que vento e frio são os principais desencadeadores desses problemas

    72% apontam a meningite como doença mais temida mas…

    …só 33% mencionam a rigidez na nuca como um dos sintomas mais assustadores nos filhos

    68% desconhecem a informação de que o atraso na dose de reforço pode interferir na imunização

    21% acreditam que as vacinas podem causar a doença que deveriam prevenir

    Continua após a publicidade
    Publicidade