Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Crianças engordam mais durante as férias

Excessos na alimentação e pouca atividade física estariam por trás dos quilos extras após as semanas de descanso

Por Vand Vieira - Atualizado em 14 fev 2020, 18h26 - Publicado em 18 jul 2017, 10h44

Contrariando quem joga a culpa nas escolas pelos índices de sobrepeso e obesidade infantis, um estudo capitaneado pela Universidade do Texas indica que é durante as férias de julho que garotos e garotas dos Estados Unidos ganham mais peso.

Os pesquisadores acompanharam, por três anos, 18 170 crianças e observaram que as taxas de sobrepeso e obesidade saltaram de 23,3% e 8,9% para 28,7% e 11,5%, respectivamente. Detalhe: a balança só apontava alterações relevantes depois da pausa no período letivo.

“Como por aqui essas férias caem no inverno, o risco de engordar é maior devido à tendência de ficar em casa”, compara Thaisy Garcia, nutricionista do Centro de Obesidade Infantil, em Campina Grande (PB). É crucial, portanto, ajustar a alimentação e estimular a movimentação da criançada.

Estratégias que evitam o ganho excessivo de peso

Em casa
Regule as horas em frente à televisão e ao computador e incentive brincadeiras que colocam o corpo em movimento.

No supermercado
Aproveite o tempo livre para levar os pequenos às compras e demonstre, de maneira lúdica, como fazer boas escolhas.

No clube
Procure lugares que ofereçam natação, futebol, dança, vôlei ou outros esportes adequados ao público infantil.

Na cozinha
Peça a ajuda da garotada no preparo dos alimentos. Só não vale descuidar da segurança ao botar a mão na massa, ok?

Trocas que driblam ciladas engordativas

Refrigerante por suco natural ou água aromatizada

Continua após a publicidade

Salgadinho por pipoca caseira sem manteiga

Hambúrguer por sanduíche de frango cozido desfiado

Batata frita por chips de batata-doce assados

Biscoito recheado por salada de frutas

Publicidade