Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Saúde, Negritude & Atitude

A psicóloga Roberta Federico reflete sobre preconceito, racismo e os desafios para a saúde e o bem-estar da população negra em nosso país.
Continua após publicidade

Frantz Fanon e o novo olhar para a saúde mental da população negra

Nossa colunista comenta o legado desse psiquiatra que revolucionou a abordagem sobre a saúde mental a partir de reflexões sobre racismo e colonialismo

Por Roberta Federico
11 out 2021, 18h43

Psiquiatra nascido na Martinica, Frantz Fanton (1925-1961) é o tipo do intelectual que teve uma trajetória de vida curta e intensa, nos deixando um legado de ideias que marcou toda uma geração de pensadores e que reverberam até os dias atuais.

Para contextualizar, é importante explicar que a Martinica é uma ilha localizada nas Antilhas e que ainda hoje está sob domínio francês. Fanon graduou-se em medicina na França em 1951, após passar alguns anos atuando no exército francês. E essa experiência nas Forças Armadas tocou profundamente sua prática profissional.

Ele se alistou no exercício aos 18 anos e foi para a Argélia, país localizado no norte da África também de colonização francesa, durante as lutas pela independência dessa nação. A vivência do colonialismo (e também do nazismo) marca profundamente sua obra.

Pois é nesse período que Fanon se dá conta de que o antilhano comum considerava-se francês e enxergava o africano como uma pessoa preta. E que o antilhano afetado pelo colonialismo só perceberia que é preto e não francês quando estivesse na Europa.

Essa mudança na autoimagem e na autopercepção, influenciada pelo racismo e o colonialismo, é um dos temas do livro Pele Negra, Máscaras Brancas (Ubu Editora), de 1952, que foi originalmente sua tese de doutorado recusada pela universidade.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Trauma racial: quando o racismo deixa suas marcas

Na obra, Fanon critica a psiquiatria positivista e propõe uma abordagem psicoterápica institucional que envolvesse a comunidade. Também defende a reconexão dos pacientes psiquiátricos com seu passado cultural mirando o próprio alívio do sofrimento psíquico.

O autor, recentemente reeditado e publicado no Brasil, discorre ainda sobre como a violência racial e colonial impactou a formação da identidade dos colonizados, produzindo traumas e desencadeando distúrbios mentais.

Fanon traz à baila uma discussão fundamental para se (re)pensar as repercussões das vivências sob opressão e discriminação e a relevância do engajamento da população em movimentos emancipatórios, com suas consequências psíquicas e sociais.

Continua após a publicidade

Além de Pele Negra, Máscaras Brancas, cabe destacar, entre os escritos do psiquiatra, Condenados da Terra (Civilização Brasileira) e Por Uma Revolução Africana (Zahar).

A obra de Fanon felizmente volta a ganhar força em nosso país, sobretudo a partir do trabalho do cientista social Deivison Nkosi Faustino, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e autor de A Disputa em Torno de Frantz Fanon (Intermeios), em que discute o campo de olhares e reflexões possíveis com base no legado desse pensador.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.