Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Pet Saudável

Por Blog
Mario Marcondes, veterinário e diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira (SP), traz orientações preciosas para quem ama seus bichos de estimação
Continua após publicidade

Estudo traça relação mais precisa entre a idade dos cães e a dos humanos

Nova análise genética derruba comparações muito divulgadas entre a nossa idade e a dos cachorros. Nosso colunista desmistifica essa história

Por Mario Marcondes
10 out 2020, 19h55

Popularmente sempre se falou que para saber a equivalência da idade dos cães com a dos seres humanos bastava multiplicar 1 ano de vida dos caninos para 7 do homem. Fazendo um paralelo com a nossa espécie, um animal de 5 anos teria, assim, ao redor de 35 anos humanos. No entanto, essa conta sempre foi questionada pelos médicos veterinários.

Sabemos que o cão passa pela puberdade e envelhece mais rapidamente até o primeiro ano de vida, quando vira um adulto jovem. Após essa primeira fase, há uma desaceleração do envelhecimento, e os bichos se tornam idosos em geral a partir dos 6 anos (há variações de acordo com a raça).

No entanto, não existia até o momento um estudo que estabelecesse com maior precisão qual seria a correlação entre as idades e o processo de envelhecimento entre os cães e os seres humanos. Foi pensando nisso que um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Diego, nos Estados Unidos, resolveu examinar o DNA de 104 animais da raça labrador de 0 a 16 anos a fim de averiguar o verdadeiro paralelo de idade entre as espécies.

Os cientistas utilizaram um método de análise que quantifica a metilação do DNA, ou seja, investigaram incorporações de um grupo químico (metil) ao material genético dos bichos com o passar do tempo. Segundo eles, a relação entre a metilação do DNA e o tempo de vida de um organismo funciona como uma espécie de relógio epigenético para estimar o envelhecimento — o termo “epigenético” faz referência a influências do ambiente nos genes.

Continua após a publicidade

A equipe comparou os resultados das amostras de cães com as dos humanos para saber se as mudanças ao longo do tempo se assemelhavam entre as espécies e descobriram que existe uma correlação, sim, porém mais precisa de acordo com a fase de desenvolvimento. Com isso, mapearam o envelhecimento de ambas as espécies por etapas da vida (infância, adolescência, maturidade e velhice).

Dessa forma, observou-se que a cronologia de envelhecimento canino segue mais ou menos o seguinte comportamento e paralelo com a nossa:

  • 2 anos do cão equivaleriam a 42 anos da idade humana;
  • 4 anos do cão equivalem aos 52 anos;
  • 7 anos equivalem a aproximadamente 60 anos;
  • A partir daí há uma expressiva desaceleração do envelhecimento canino, e 9 anos passam a equivaler a 65 anos dos homens.

É importante ressaltar que o estudo foi feito apenas com labradores. Assim, será preciso avaliar se o mesmo padrão no envelhecimento se estende a outras raças de cães. Sabemos que existe uma diferença no perfil de envelhecimento e sobrevida entre as diferentes raças. Cães menores possuem maior tempo de vida quando comparados aos de raça maior.

Continua após a publicidade

Mas o novo estudo, que conta com nomes de peso como a veterinária Danika Bannasch, da Universidade da Califórnia, e a geneticista Elaine Ostrander, chefe do Departamento de Genética de Câncer e Genômica Comparativa do National Human Genome Reserach Institute do governo americano, é de extrema importância nesse contexto. Os resultados do trabalho foram publicados na conceituada revista científica Cell Systems e prometem contribuir inclusive com a compreensão de algumas doenças e o desenvolvimento de novos tratamentos tanto para a medicina veterinária como na humana, uma vez que os experimentos com cães servem de base para estudos e medicamentos voltados aos seres humanos.

No fim das contas, tanto nós como nossos melhores amigos devemos agradecer por essas pesquisas que conectam e beneficiam ambas as espécies.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.