Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Quando suplementos na academia geram acne

Whey protein e vitamina B12 (além dos anabolizantes) estão entre os suplementos que podem gerar essas lesões na pele, se não forem bem indicados

Por Aline Erthal, dermatologista*
9 abr 2024, 07h45

Principalmente após a pandemia de covid-19, vimos um número crescente de pessoas buscando melhorar a saúde e aparência através de exercícios físicos, o que é excelente. Mas, em paralelo a isso, o uso dos mais variados tipos de suplementos para potencializar os resultados também tem crescido exponencialmente. Em muitos casos, isso é feito sem a supervisão de um profissional da saúde, o que pode levar a efeitos colaterais indesejados para o corpo – especialmente a pele.

Sabemos que ingerir uma boa quantidade de proteínas na dieta é essencial para a construção de massa muscular, o que faz com que muitos busquem a suplementação com whey protein. Mas, em algumas pessoas, ele favorece a acne. Isso porque é um derivado do leite e, como qualquer outro laticínio, pode estimular a produção de sebo na pele. 

Mas esse não é um motivo para suspender o whey da dieta, caso ele tenha sido prescrito por um nutricionista. O que observamos é que as lesões de acne surgem em quem está consumindo em excesso ou já é mais sensível a uma dieta láctea. 

Além de se atentar à quantidade, existem formulações de whey protein que são menos relacionadas à acne: os isolados ou hidrolisados. Se, mesmo após essa troca, as lesões persistirem, existem suplementos proteicos à base de proteína vegetal, como a ervilha. 

Sem contar que o maior aporte de proteínas pode vir pela dieta, com carnes, peixes, ovos e leguminosas.

+Leia também: Fobia de academia: como superar a resistência e não deixar de malhar

Outro suplemento que pode causar acne são as vitaminas do complexo B, em especial a B12. Ela está relacionada ao metabolismo de lipídeos e, quando em excesso, é uma das principais causadoras de acne. 

Como a resposta à ingestão de vitamina B varia significativamente, uma abordagem individualizada é essencial. Para algumas pessoas, principalmente aquelas com histórico de acne, pode ser necessário limitar a suplementação de vitamina B12. 

E ainda muito frequentes estão os “suplementos hormonais” – ou seja, os anabolizantes. Além dos efeitos deletérios para órgãos como fígado e rins, os anabolizantes são tradicionalmente associados à acne. 

Qualquer formulação com derivados da testosterona (e isso inclui o chip da beleza) aumenta, e muito, a incidência de acne. Nesses casos, a conduta médica mais correta é a suspensão da droga, a não ser que exista um distúrbio hormonal que justifique esse tipo de tratamento.

A suplementação precisa ser feita com acompanhamento de um profissional de saúde qualificado. É óbvio, mas precisa ser dito: não acredite em resultados rápidos ou milagrosos. Se isso for proposto a você, mesmo que por um profissional da saúde, desconfie! 

Continua após a publicidade

E, se você está buscando uma rotina mais saudável e uma melhor performance na atividade física, saiba que nem toda suplementação é ruim. Em muitos casos, ela é necessária. 

O que precisa ser feito é uma indicação precisa e personalizada, que depende também da ética e do profissionalismo de quem você escolheu para orientar seus cuidados. 

*Aline Erthal é dermatologista graduada pela Universidade de São Paulo (USP) e diretora médica da área de dermatologia da Omens, plataforma que trata da saúde masculina.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.