Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Por que há cada vez mais casos de bruxismo?

Fatores como desgaste emocional e estresse levam ao aumento de diagnósticos no pós-pandemia

Por Diana Fernandes, cirurgiã dentista*
21 jun 2023, 10h05

A pandemia trouxe com ela uma lição sobre a necessidade de ser resilientes às situações e se adaptar a novas rotinas. Essas mudanças trouxeram mais cobranças, mais reuniões, mais entregas, mais conversas nos aplicativos e uma carga maior de informações. 

O estresse e ansiedade desse cotidiano frenético estão diretamente ligados à ocorrência do bruxismo, problema relacionado ao apertar e ranger dos dentes, que afeta muito a qualidade de vida. Não à toa, o diagnóstico e a procura por ajuda tem aumentado nos consultórios. 

O bruxismo pode causar fadiga, cansaço, inflamação dos músculos, dores de cabeça e nas costas, dificuldade em abrir a boca, retrações nas gengivas e até mesmo perda do esmalte e estruturas mais profundas dos dentes. 

Causas do bruxismo

Ele é considerado multifatorial, ou seja, vários problemas juntos podem desencadear o bruxismo. Entretanto, a ansiedade e o estresse emocional estão associados como os maiores causadores da condição. 

Continua após a publicidade

Como sabemos, a ansiedade traz vários sintomas. E um deles é justamente travar a mordida, apertando os dentes durante a situação tensa que a pessoa está vivendo no momento. 

Fatores como o uso excessivo de celular e o consumo exagerado de cafeína e álcool também elevam o risco do problema. 

+ Leia também: Bruxismo: é possível tratar e recuperar a qualidade de vida

Continua após a publicidade

Como acontece 

O bruxismo se caracteriza pelo apertamento e rangimento dos dentes de forma involuntária e muitas vezes imperceptível para o paciente, que acaba descarregando força tensional nos músculo da face.

Se engana quem pensa que o ranger dos dentes se dá apenas à noite, é muito comum as pessoas apertarem os dentes durante o dia e não perceberem! 

O bruxismo é dividido em dois tipos: cêntrico, quando a pessoa apenas “aperta” uma arcada na outra, e o excêntrico, que é quando a pessoa desloca a mandíbula de um lado para o outro, rangendo os dentes.

Continua após a publicidade

Tratamento do bruxismo

A boa notícia é que bruxismo tem cura. O primeiro passo é buscar ajuda ao sentir os sintomas que já descrevemos, como dor de cabeça e dores faciais. O profissional a identificar mais rápido o bruxismo é o dentista, através de um exame clínico de rotina.

O tratamento pode ser feito com uma placa miorrelaxante, que, embora não impeça o apertamento, atrapalha o ato de ranger e ajuda a preservar os dentes. A placa, entretanto, tem seu uso limitado para o dia, já que muitas vezes a pessoa não consegue falar com ela na boca. 

Outro método oferecido aos pacientes é o uso da toxina botulínica, que diminui a tensão entre os músculos da mastigação e, assim, não deixa o paciente ter o apertamento profundo desses músculos.

Continua após a publicidade

Dependendo do caso, é feita uma associação dos dois tratamentos, com o uso da placa durante a noite e a toxina botulínica para evitar o apertamento durante o dia inteiro.

Também podem ser prescritos medicamentos e apoio psicológico e/ou psiquiátrico para desvender as origens da tensão e métodos para controlá-la. 

Por fim, massagens e bolsas de água quente ajudam a aliviar quando se está mais tensionado.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

Prevenindo o bruxismo 

Aqui vão algumas dicas que costumo dar aos pacientes para evitar o aperto: 

  • Fazer atividades físicas
  • Tomar um chá relaxante antes do sono 
  • Deixar o celular longe de cama e desligá-lo uma hora antes de dormir
  • Tomar banhos quentes antes de dormir
  • Evitar bebidas com cafeína, como café, chá e refrigerantes

+ Leia também: Dormir bem entra na lista das oito medidas para um coração saudável

* Dra. Diana Fernandes, cirurgiã dentista pela Associação Brasileira de Odontologia

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.