Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Coisas de Homens

Sexo, libido, ereção, prevenção de doenças… O bem-estar dos homens está na mira do urologista João Brunhara, diretor médico da Omens, plataforma que trata da saúde sexual masculina
Continua após publicidade

Por que os homens sofrem tanto com a ejaculação precoce?

Problema preocupa parcela significativa dos homens brasileiros. Entenda o que está por trás e as soluções

Por João Brunhara, urologista*
Atualizado em 11 out 2022, 15h01 - Publicado em 21 abr 2022, 11h08

Chegar ao orgasmo rápido demais é uma das maiores preocupações dos homens no sexo. Segundo pesquisa do Datafolha em parceria com a Omens, 48% dos brasileiros relatam ter tido problemas com ejaculação precoce em alguma etapa de sua vida sexual. É um número expressivo.

Mas por que a ejaculação precoce atinge tantas pessoas? E por que pesa tanto na vida sexual masculina?

A resposta para a primeira pergunta é simples. A ejaculação precoce não é uma doença propriamente dita, mas uma dificuldade em controlar a velocidade da excitação, que leva a um reflexo natural do corpo, o orgasmo e a ejaculação.

É natural existir uma variação entre as pessoas, e também a mesma pessoa pode sentir que a velocidade de ejaculação mudou de acordo com uma fase da vida, a excitação e a ansiedade naquele momento, entre outros fatores.

+ LEIA TAMBÉM: O efeito das redes sociais e da pornografia na vida sexual

Afinal, é normal, no começo da vida sexual, que a excitação venha de uma forma inesperada e difícil de controlar. A falta de experiência influencia as coisas.

Continua após a publicidade

A mesma situação pode acontecer quando a pessoa está numa relação especial ou com muita expectativa, com um frio na barriga que faz parecer que aquilo é a primeira vez. Aí também entra a adrenalina: esse hormônio que liberamos em momentos de estresse ou ansiedade é justamente a molécula usada para deflagrar a ejaculação. Isso explica por que os ansiosos têm, no geral, mais ejaculação precoce.

Compartilhe essa matéria via:

O ponto é que o quadro gera angústias e frustrações. Muitos sentem vergonha ou receio de decepcionar uma parceira ou parceiro e desconhecem que o problema tem solução. A mesma pesquisa do Datafolha já citada mostra que a maioria dos homens com dificuldades sexuais nunca procurou ajuda profissional.

No caso da ejaculação precoce, existem possibilidades de tratamento, e elas englobam psicoterapia, exercícios específicos e até medicamentos.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR
Continua após a publicidade

Além disso, é bom ter em mente que expectativas irrealistas atrapalham demais. Estudos indicam que uma relação com duração de 7 minutos já é considerada dentro da faixa ideal. Mas, mais importante do que a duração da penetração, é a experiência do sexo como um todo. Beijos, carícias, sexo oral, estimulação com as mãos ou brinquedos… Tudo entra na conta.

+ Leia também: O novo normal do sexo

O fato de o homem negligenciar todas as etapas que não envolvem a penetração é frequentemente a maior causa de frustração de parceiras ou parceiros, muito mais do que a duração da penetração propriamente dita. E, ao contrário do que se imagina, dar a devida atenção a essas etapas já alivia a ansiedade e a sensação de responsabilidade. Em outras palavras, a solução do problema pode estar nas preliminares.

* João Brunhara é urologista, médico do Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e diretor da Omens, plataforma que trata problemas de saúde sexual masculina

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.