Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Alimente-se

Comer é muito mais do que ingerir nutrientes. Na receita de uma alimentação equilibrada, também há ingredientes comportamentais, emocionais, culturais e ambientais, como mostra a nutricionista Lara Natacci
Continua após publicidade

O eixo intestino-cérebro: o que é e como interfere na dieta?

Esses dois órgãos estão em comunicação constante, e isso tem a ver com nossas emoções e a digestão

Por Lara Natacci
29 Maio 2024, 11h15

Você já parou para pensar que seu intestino e seu cérebro são mais do que apenas órgãos separados? Eles são, na verdade, como melhores amigos que estão em constante conversa, trocando mensagens que influenciam nosso humor, comportamento e a saúde digestiva.

Seu intestino envia sinais para o cérebro toda vez que você come algo. Ele diz “o que você comeu” e “como ele se sente”. O cérebro, por sua vez, também pode influenciar como o intestino funciona, especialmente em momentos de estresse ou ansiedade.

+Leia também: A incrível conexão cérebro-intestino

Essa comunicação é vital para a saúde mental e digestiva. Ela pode ocorrer por meio dos neurônios, que estão tanto no sistema nervoso central quanto no gastrointestinal, ou através do nervo vago, que começa no tronco cerebral e faz todo o caminho até o intestino, numa via de mão dupla. Trata-se de uma via de sinais nervosos que transmite mensagens capazes de interferir com as emoções.

Continua após a publicidade

Um intestino saudável não só absorve os nutrientes essenciais para todo o corpo, incluindo aqueles importantes para a saúde mental, como também produz substâncias que mantêm nosso organismo equilibrado.

Ou seja, cuidar dessa importante relação entre intestino e cérebro ajuda a preservar a saúde física e a lidar melhor com nossas emoções, além de beneficiar aspectos cognitivos.

Como cuidar do eixo intestino-cérebro?

A resposta está em escolhas inteligentes de alimentos e estilo de vida:

Continua após a publicidade
  • Alimentos probióticos: mantenha sua flora intestinal equilibrada com alimentos como leite fermentado, iogurte probiótico, kefir e kombucha.
  • Fibras: ajude seu intestino a funcionar com cereais integrais, leguminosas, frutas, legumes e verduras.
  • Antioxidantes: proteja suas células dos danos dos radicais livres com uma dieta rica em flavonoides encontrados em frutas, legumes e verduras.
  • Anti-inflamatórios: reduza a inflamação no intestino e no cérebro com alimentos como cúrcuma e peixes ricos em ômega-3 (sardinha, atum e salmão, por exemplo).

Além disso, lembre-se de cuidar do sono, gerenciar o estresse, praticar exercícios físicos regularmente e cultivar relacionamentos positivos. Tudo isso contribui para o bem-estar.

E, na próxima vez que você planejar suas refeições, lembre-se de que está nutrindo não apenas o corpo, como também o cérebro!

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.