Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Tudo que você precisa saber sobre a endometriose

Diagnóstico precoce e tratamento adequado são fundamentais no combate à doença

Por Abril Branded Content
Atualizado em 16 nov 2023, 14h50 - Publicado em 19 Maio 2023, 11h30

De cara, nós damos um alerta importante: não normalize sentir dor extrema no seu período menstrual. Se isso acontece, existe uma chance de você ter endometriose e precisa consultar seu médico. Mas, quando falamos em endometriose, um monte de dúvidas pode aparecer. O que é a endometriose? Como a doença surge? Quais são os sintomas e tratamentos? Tem cura? Mesmo com tanta informação por aí, o médico, claro, é fundamental no processo de diagnóstico e tratamentos disponíveis. 

A endometriose é o crescimento do endométrio, tecido que reveste o útero e produz a menstruação, fora da cavidade uterina. Com o fim do período fértil, o endométrio é expelido em forma de menstruação. Nas mulheres com essa condição, quando o endométrio vai para outras partes do corpo, isso não acontece da forma apropriada, gerando dores intensas, inflamação e cicatrizes. A causa desse mal não é conhecida, mas afeta cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva.

E os sintomas? 

Os sintomas da endometriose podem incluir dor pélvica intensa no período menstrual, dor durante a relação sexual, dor ao urinar ou defecar, sangramento menstrual intenso ou irregular, fadiga e infertilidade. No entanto, algumas mulheres com a condição também podem não apresentar sintomas, o que acaba dificultando o início do tratamento.

Continua após a publicidade

O diagnóstico é feito por exames de imagem, como ultrassom ou ressonância magnética, ou por meio de uma laparoscopia, procedimento cirúrgico em que um pequeno tubo é inserido no abdômen para examinar os órgãos internos.

O tratamento

O tratamento para a endometriose pode incluir medicamentos para controlar a dor e a inflamação, contraceptivos hormonais para reduzir o crescimento do tecido endometrial e cirurgia para remover os tecidos afetados. A maioria dos tratamentos está disponível também no Sistema Único de Saúde (SUS).

Continua após a publicidade

Segundo Marcos Tcherniakovsky, ginecologista, cirurgião e professor da Faculdade de Medicina do ABC, um dos pontos mais importantes hoje no controle da endometriose é uma equipe multidisciplinar para entender os diversos fatores da doença. “Hoje nós damos muita importância para a nutrição, é comum indicarmos uma nutricionista. Vários alimentos são mais inflamatórios do que outros. A carne vermelha, por exemplo. Muitas vezes, se percebe também alteração psicológica na paciente, se ela não está conseguindo conviver bem com isso. Acompanhamento psicológico também é muito importante, além de estimular atividade física.”

Embora a endometriose possa ser uma condição, muitas vezes, debilitante, existem opções de tratamento disponíveis para ajudar mulheres a gerenciar seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida. Além das questões físicas, sabemos que a endometriose tem um grande impacto no emocional, por isso a importância da disseminação de todo o conhecimento envolvendo a doença. 

Para saber mais, acesse www.buscofem.com.br.

Continua após a publicidade
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.