Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Um tipo de gordura pode aumentar o risco de câncer de pulmão

A versão saturada foi ligada a uma maior probabilidade de ter esse problema. Mas outras até nos protegeriam desse tumor

Por Vand Vieira
Atualizado em 14 fev 2020, 18h24 - Publicado em 9 ago 2017, 19h28

Com o objetivo de investigar a relação entre dieta e câncer de pulmão, cientistas americanos, europeus e asiáticos tomaram fôlego e revisaram 10 estudos, totalizando quase 1,5 milhão de voluntários. Coincidência ou não, o cardápio de boa parte dos participantes diagnosticados com tumores nesse órgão continha uma quantidade superior de gordura saturada, presente na carne vermelha e na manteiga, por exemplo. Colocando na ponta do lápis, o excesso desse nutriente foi atrelado a um risco 14% maior de desenvolver a enfermidade.

Essa associação foi especialmente intrigante quando os experts esmiuçaram os hábitos alimentares dos fumantes. Entre eles, fartas doses de gordura saturada catapultaram a probabilidade de ter um tumor de pulmão em 23%, quando comparados a quem largou o cigarro ou nunca fumou. O índice, como você pode perceber, é significativamente maior do que o outro já mencionado — mas os motivos disso são um mistério.

“Apesar de a pesquisa não ser a palavra final para estabelecer essa relação como definitiva, reforça os resultados de trabalhos anteriores”, comentou, em comunicado à imprensa, o oncologista Fabiano Souza, do Hospital do Câncer Mãe de Deus, no Rio Grande do Sul.

Outro achado da revisão esquenta ainda mais o debate sobre gordura e câncer. Em resumo, substituir 5% da gordura saturada consumida diariamente pela versão poli-insaturada, encontrada nos peixes e nas oleaginosas, representaria uma chance 17% maior de não sofrer com esse câncer. Dito de outra forma, o tipo de gordura ingerida importa.

Em geral, os especialistas preconizam valorizar as fontes das versões insaturadas e maneirar nas saturadas. Já a gordura trans — ainda presente em certos sorvetes e bolachas — nem deveria entrar no cardápio tamanho os estragos que provoca.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.