Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ossos fracos podem ser sinal de doença celíaca

A dificuldade para processar o glúten, proteína presente em certos alimentos, também pode promover a osteoporose

Por Thaís Manarini Atualizado em 21 jan 2020, 11h20 - Publicado em 21 jan 2020, 10h20

Marcada por uma inabilidade do organismo em digerir o glúten — proteína encontrada em trigo, cevada e centeio —, a doença celíaca geralmente é ligada a sintomas como barriga estufada, gases e diarreia. Mas cientistas da Universidade George Manson, em terra americana, compararam 13 634 indivíduos saudáveis com 48 prováveis celíacos e perceberam o seguinte: embora ingerissem mais cálcio e fósforo, os últimos exibiam uma densidade mineral óssea menor, o que aumenta a propensão à osteoporose.

Para Jean Rodrigo Tafarel, gastroenterologista da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, apesar de o experimento envolver um pequeno número de prováveis celíacos, é crucial passar a mensagem de que o impacto da doença pode ir além do intestino. “Todos os médicos devem considerar isso”, sugere.

Outros alertas que podem denunciar a doença celíaca

  • Anemia
  • Depressão
  • Infertilidade
  • Dermatite herpetiforme (provoca pequenas bolhas na pele)
  • Por que o esqueleto paga um preço

    O gastro Jean Tafarel esclarece que quem é celíaco produz um anticorpo que agride a mucosa do intestino delgado. “Com isso, há menor absorção de nutrientes, como cálcio e vitamina D”, explica. Aí os ossos sofrem.

    “E, se há osteoporose por causa dessa condição, só tomar suplemento não resolve”, avisa. A chave é descobrir e tratar a doença celíaca.

    Continua após a publicidade
    Publicidade