Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Magnésio, o parceiro da vitamina D

Ao que tudo leva a crer, um nutriente é essencial para que o outro consiga exercer suas funções plenamente

Por Thaís Manarini - Atualizado em 11 jun 2020, 11h24 - Publicado em 17 jun 2018, 10h30

Essencial sobretudo para os ossos, a vitamina D é obtida principalmente a partir dos raios solares. Mesmo assim, no Brasil, muitos sofrem com o déficit da substância. A solução encontrada pelos médicos para suprir a demanda é o uso de suplementos. Só que uma revisão publicada por especialistas americanos no The Journal of American Osteopathic Association garante que não adianta investir nos produtos se não houver no corpo a quantidade adequada de magnésio.

“Para desempenhar suas funções, a vitamina D deve ser convertida, dentro do corpo, em sua forma ativa”, ensina a nutricionista Amanda Romero, pesquisadora da Universidade de São Paulo. “Para isso, passa por algumas reações que dependem do magnésio”, completa.

Sem ele, portanto, a atuação da vitamina D deixaria a desejar. Amanda diz que uma dieta rica em vegetais e grãos integrais ajuda a atingir a dose indicada do mineral. Cabe destacar que homens precisam, por dia, de 420 miligramas de magnésio, e mulheres, de 320.

Saiba onde você pode encontrar magnésio:

Amêndoas: 66 mg (30 g, um punhado)

Banana-nanica: 39,2 mg (1 unidade)

Continua após a publicidade

Feijão-carioca: 84 mg (2 conchas)

Brócolis: 9 mg (60 g, 4 e 1/2 colheres de sopa)

Ovo: 11 mg (2 unidades)

Linhaça: 104 mg (30 g, 2 colheres de sopa)

Leite: 20 mg (200 ml, 1 copo)

 

Continua após a publicidade
Publicidade