Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Azeite: pode esquentar?

Muito se discute sobre a interferência do fogo nas propriedades nutricionais do óleo de oliva. Pois o dilema foi alvo de uma nova pesquisa

Por Thaís Manarini - Atualizado em 14 Feb 2020, 18h28 - Publicado em 6 Aug 2016, 13h00

Uma questão intriga os amantes do bom e saudável frango grelhado: botar o azeite na frigideira para preparar o filé é um desperdício? Afinal, o papo que rola por aí é que esquentá-lo faz os bem-vindos antioxidantes evaporarem. Mas, segundo uma revisão feita pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) em parceria com a marca Andorinha, essa perda seria mínima – de apenas 20%.

“Nosso parâmetro foram as condições de uso caseiras”, conta o médico Carlos Alberto Nogueira de Almeida, diretor da Abran. Segundo ele, os achados demonstram que o azeite que vai ao fogo ainda é mais vantajoso em termos de antioxidantes do que outros óleos em temperatura ambiente. “Aliás, a única justificativa que alguém tem para não trocá-los pelo azeite é o preço”, avalia.

Publicidade