Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Alimento para a flora intestinal

Falamos dos prebióticos... Professor britânico explica o que eles podem fazer pelo organismo

Por Diogo Sponchiato - Atualizado em 21 Sep 2018, 10h58 - Publicado em 12 May 2017, 18h03

A ciência vem mostrando que a microbiota intestinal, o conglomerado de bactérias que vive nos confins do aparelho digestivo, tem papel de destaque não só no funcionamento do intestino, mas também no equilíbrio da imunidade e na prevenção de problemas cardiovasculares. Para cultivar uma boa flora, digamos que a gente precisa alimentá-la direito. É aí que entram os prebióticos, substâncias que servem um banquete para micro-organismos do bem que habitam o intestino. Como agradecimento, muitos desses seres microscópicos defendem a região de invasores nocivos e ainda produzem substâncias de ação proveitosa para o corpo humano.

E quem seriam esses prebióticos? Ora, são fibras vegetais e outros compostos que passam intactos pela digestão — não os confunda com os probióticos, bactérias específicas e benéficas fornecidas por iogurtes, leites fermentados… Já que os prebióticos estão ganhando destaque entre as recomendações nutricionais, aproveitamos para conversar com um dos maiores estudiosos do assunto, o professor Glenn Gibson, da Universidade de Reading, na Inglaterra. O cientista será um dos convidados internacionais do próximo congresso do Ganepão, um dos principais eventos de nutrição do país, que acontece entre os dias 13 e 17 de junho.

Publicidade