Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Pets não se dão bem com todas as plantas

Curiosos por natureza, cachorros e gatos podem sofrer prejuízos sérios ao entrar em contato com certas espécies de vegetações

Por Thaís Manarini Atualizado em 3 Maio 2021, 10h21 - Publicado em 24 abr 2021, 13h08

Na pandemia, a busca por cursos e kits de jardinagem disparou. Além de ser um alívio para a mente, o hobby deixa o lar mais belo. Mas, se houver um pet em casa, a escolha das plantas deve ser feita com cautela. É que muitas espécies são tóxicas para cães e gatos — confira exemplos abaixo.

“Os filhotes são os mais propensos a mexer com elas, porque a fase exploratória de odores e paladar está mais aguçada”, alerta o veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet. Porém, ele ressalta que há pets que seguem fuxiqueiros nas fases adulta e idosa. “É melhor se precaver com todas as raças, portes e idades”, aconselha.

O maior perigo é o bicho comer a planta. “Na maioria das vezes, o efeito está relacionado a problemas gastrointestinais”, aponta Silva. Mas o simples contato com a pele e os olhos também pode provocar reações.

  • Jardim à prova de travessuras

    Se optar por manter uma dessas plantas em casa, a dica de Silva é deixá-la em lugares altos, como prateleiras ou vasos suspensos. “Nesse caso, vale atenção especial aos gatos, que são escaladores”, pondera. Se a tática não der certo e você perceber que o bicho revirou a planta, o ideal é entrar em contato com o veterinário. “Receitas caseiras podem piorar a situação”, frisa Silva. Alguns sintomas típicos da intoxicação são: salivação, dor, vômito, diarreia, perda de apetite e inchaços.

    O que não combina com os bichos

    • Azaleia
    • Comigo-ninguém-pode
    • Samambaia
    • Lírio
    • Espada-de-são-jorge
    • Copo-de-leite
    • Antúrio
    • Costela-de-adão
    • Açucena
    • Bico-de-papagaio

    Continua após a publicidade
    Publicidade