Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Leishmaniose está se tornando um problema urbano

Devido a alterações no meio ambiente, casos de leishmaniose em animais são cada vez mais comuns em centros urbanos

Por Goretti Tenorio
Atualizado em 31 jan 2019, 11h00 - Publicado em 11 nov 2018, 10h35

A doença, antes restrita à zona rural, tem invadido as metrópoles, causando danos potencialmente fatais a cachorros. “Uma das explicações para essa expansão da leishmaniose são alterações ambientais, como desmatamentos, que provocam o deslocamento do inseto transmissor”, avalia a veterinária Anaiá da Paixão Sevá, pesquisadora da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo.

“Ao proteger o cão, que é um reservatório do protozoário causador da doença, também protegemos a saúde do dono”, explica.

Ficha técnica

O que é: Doença parasitária crônica, a leishmaniose pode ser cutânea ou visceral, versão em que afeta órgãos como fígado e baço.

O que causa: O protozoário Leishmania infantum chagasi, responsável pelo tipo visceral, invade e ataca o organismo do animal.

Transmissão: Fêmeas dos flebotomíneos, insetos pequenos conhecidos como mosquito-palha ou birigui, são os principais vetores.

Continua após a publicidade

Tratamento: Em 2017 foi aprovado no Brasil um medicamento contra leishmaniose canina. O uso é feito em ciclos de 28 dias a cada quatro meses.

Como prevenir

Sem método 100% eficaz, uma combinação de medidas ajuda na proteção

Vacina: Só pode ser administrada em cão não infectado, o que exige um exame de sangue antes. A dose é repetida anualmente.

Continua após a publicidade

Repelente: O uso de coleira com a substância deltametrina tem se mostrado eficiente: inibe a aproximação do inseto e mata aqueles que picam o animal.

Tela: Como a ideia é bloquear o contato com o mosquito transmissor, o uso de telas é mais um recurso recomendado por especialistas.

Limpeza: A fêmea do mosquito deposita os ovos em matéria orgânica e lixo. Por isso, as condições higiênicas no entorno fazem diferença.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.