saudeLOGO Created with Sketch.

O luto pelo suicídio é diferente – e uma cartilha ensina a lidar com ele

O sofrimento de quem era próximo a alguém que se matou tem suas particularidades. E elas foram tratadas em uma nova cartilha brasileira

Todo ano, cerca de 800 mil indivíduos ao redor do globo cometem suicídio, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Essa é a segunda maior causa de morte na faixa dos 15 aos 29 anos. “Apesar do tamanho do problema, há pouco apoio para os familiares que convivem com esse vazio”, lamenta a enfermeira Kelly Vedana, responsável pelo Centro de Educação em Prevenção e Posvenção do Suicídio, da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto.

Diante disso, ela e colegas criaram a cartilha Lidando com o Luto por Suicídio, disponível de graça no Facebook do grupo. “Essas pessoas tendem a sentir culpa, vergonha, impotência. Nessas horas, os recados que colocamos no documento podem facilitar a cicatrização emocional”, explica Kelly.

Destaques da cartilha para lidar com o luto pelo suicídio

Entenda seu luto: certos sentimentos surgem com força. Além dos já mencionados, a raiva pode dominar a mente.

Não se culpe: é impossível controlar todas as ações de alguém, e o suicídio quase nunca acontece por uma causa.

Aceite ajuda: pode ser para aliviar a depressão ou mesmo para cumprir tarefas diárias. Só deixe claro o que deseja.

Fuja do isolamento: vá atrás dos amigos que fazem bem a você. Ou converse com quem já passou por esse drama.

Evite mentir: contar a real causa da morte auxilia os outros a entenderem melhor e respeitarem a situação. Mas, se não quiser, você não precisa se alongar sobre o assunto.

Maneire nas decisões: a confusão mental logo após o falecimento de alguém amado não combina com grandes escolhas.

Cuide da saúde: às vezes a fome não vem, mas tente comer alimentos saudáveis para ganhar um pouco de ânimo. E esse é só um exemplo.