Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Serviço facilita financiamento de tratamentos de saúde

Cerca de dez bancos possibilitam pagamento de até 25 000 reais, parcelados via parceria com Cartão Black Saúde

Por Ana Carolina Pereira, de Abril Branded Content - Atualizado em 18 ago 2020, 10h45 - Publicado em 21 jul 2020, 11h00

Quase 70% dos brasileiros não possuem plano de saúde. O dado é do último estudo sobre gastos com saúde feito pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A pesquisa aponta, ainda, que cerca de 75% dos respondentes não têm nenhuma reserva financeira para uso em caso de imprevistos e que as despesas inesperadas com saúde extrapolam o orçamento de mais de 40% dos entrevistados.

O Cartão Black Saúde foi criado, em 2013, exatamente para diminuir o impacto principalmente de consultas médicas e da compra de medicamentos no bolso dos pacientes. As parcerias com uma ampla rede credenciada de hospitais e clínicas, com mais de 50 especialidades médicas, além de laboratórios e farmácias, resultam em descontos de até 80% em serviços e produtos. “É possível fazer uma consulta e pagar 30 reais, por exemplo, em um bom hospital particular, com a vantagem de conseguir um agendamento muito mais rápido do que na rede pública”, ressalta Robson Loureiro, gerente comercial do Cartão Black Saúde.

Mas como lidar com gastos que fogem da rotina, como em casos de tratamentos mais longos, complexos e, principalmente, que envolvam cirurgias e internações?

Quando a saúde sai cara

Para se ter uma ideia de valores, de acordo com dados do Ministério da Saúde, o montante  pago a um médico por uma cirurgia de ponte de safena, por exemplo, custa 3 800 reais aos cofres públicos. Quando o procedimento é feito em instituições privadas, o paciente tem que considerar que o gasto inclui também outros profissionais, como anestesista e assistentes, instrumentos médicos e internação de pelo menos um dia no hospital escolhido. “Qualquer cirurgia simples pode chegar facilmente a 20 000 reais”, aponta Loureiro.

Para facilitar o pagamento desse tipo de gasto, o Cartão Black Saúde oferece, hoje, parcerias com mais de dez bancos. Por meio deles, é possível financiar os procedimentos mais caros. “Nós damos todo o suporte necessário para o parcelamento do tratamento. Cada banco aceita financiar até 25 000 reais. Se for preciso, em casos de procedimentos e tratamentos ainda mais custosos, podemos contar com mais de uma instituição financeira para chegar ao valor devido”, conta o gerente comercial.

Segundo ele, para usufruir o benefício, o paciente precisa apenas estar com a anuidade do cartão quitada. “Até mesmo clientes cadastrados em órgãos de proteção ao crédito, dependendo da situação, já conseguiram financiamentos conosco. A nossa missão é ajudar o maior número de pessoas possível”, afirma.

O cartão é válido em todo o território nacional e, para seu uso, é cobrada uma tarifa de 39,90 reais mensalmente. Assistências funerárias também integram a parceria.

Crescimento em vista

Além da constante ampliação da rede, feita com a ajuda dos próprios associados, como conta Loureiro, o Cartão Black Saúde está sempre se modernizado: ganhou um novo site e um aplicativo. “Tudo foi desenvolvido para melhorar a experiência do usuário e facilitar o agendamento de consultas e a comunicação da empresa com os clientes”, ressalta Loureiro.

A nova fase marca o crescimento do serviço e uma boa perspectiva para o futuro. A meta, agora, é se tornar internacional e, quem sabe em pouco tempo, ter uma rede própria. “O que importa é promover o acesso à saúde. A expectativa é seguir melhorando e deixar o paciente cada vez mais tranquilo e tendo a certeza de que será amparado e atendido sempre que precisar”, conclui o gerente comercial. 

Continua após a publicidade
Publicidade