Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Radar da saúde: brasileiros veem tecnologia como aliada do bem-estar

Estudo constata que certos cuidados e o apoio tecnológico vieram para ficar após a Covid-19. Veja este e outros destaques no universo de VEJA SAÚDE

Por Diogo Sponchiato 21 ago 2021, 16h25

Sete em cada dez brasileiros acreditam que a tecnologia vai facilitar seu acesso a uma boa saúde. Esse é um dos achados de uma pesquisa da Abbott feita em duas etapas e que ouviu mais de 2 mil pessoas de todas as regiões do país em maio deste ano.

Além de radiografar os desafios dos meses de pandemia, incluindo os de cidadãos que convivem com doenças crônicas, o estudo O Valor da Saúde mapeou como nossos conterrâneos pretendem se cuidar daqui pra frente e de que forma enxergam a tecnologia nesse processo.

Para 63% dos entrevistados, é fundamental ter seus dados de exames e consultas reunidos num só lugar. Um índice expressivo também deseja ferramentas que ajudem a monitorar a saúde de si e de quem ama, e mais da metade vê nas inovações tecnológicas um meio de melhorar a comunicação com os médicos e receber orientações em momentos de emergência.

ilustração de uma banana fazendo referência à ereção
Ilustração: Mariana Duarte/SAÚDE é Vital

Passado: 25 anos do Viagra

O primeiro remédio a combater a disfunção erétil foi patenteado pela Pfizer em 1996. O princípio ativo sildenafila inaugurou uma classe de comprimidos que ajudam a manter a circulação sanguínea para o pênis, fator decisivo à ereção. Hoje existem outros medicamentos, e de outras farmacêuticas, para essa finalidade. A utilização, no entanto, depende de avaliação e indicação médica.

ilustração de uma formiga em cima de um cogumelo e, acima deles, um conta-gotas
Ilustração: Mariana Duarte/SAÚDE é Vital

Futuro: antifúngico em formigueiros

Uma investigação financiada pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) encontrou um composto inédito contra fungos em bactérias que ficam em ninhos de formigas-cortadeiras espalhados por Mata Atlântica, Amazônia e cerrado. Nos testes em laboratório, a molécula foi capaz de atacar micro-organismos que causam doenças em humanos.

Continua após a publicidade
ilustração de mulher com um zíper na boca e bandeira da nova zelândia
Ilustração: Mariana Duarte/SAÚDE é Vital

Um lugar: solução bizarra para perda de peso na Nova Zelândia

Cientistas da Universidade de Otago criaram um dispositivo à base de ímãs colocados nos dentes com o objetivo de fechar a boca da pessoa e limitar o ganho de peso. A polêmica invenção recebeu pedradas de especialistas mundo afora. Em experimento com sete mulheres, o uso do aparelho teria resultado numa perda média de 6 quilos em duas semanas.

ilustração de bebida caindo num guarda-chuva
Ilustração: Mariana Duarte/SAÚDE é Vital

Um dado: queda de 8,5 para 7,4 litros de álcool per capita

O volume de bebida alcoólica consumido no Brasil caiu esse montante entre 2010 e 2018, segundo o último levantamento do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa). Apesar disso, a entidade alerta que mais mulheres passaram a beber no período. Outro ponto de atenção é o aumento na ingestão de álcool com a pandemia da Covid-19.

caricatura do escritor pablo d'ors
Ilustração: Mariana Duarte/SAÚDE é Vital

Uma frase: Pablo D’Ors

“A meditação é uma maneira de purgar o apego; por isso não é agradável em um primeiro momento. Assim que atravessada essa via purgativa, a meditação se torna uma via iluminativa, mas vale a pena percorrer o caminho mesmo que não se chegue a uma grande iluminação. A simples purgação — e não é simples — compensa. No fundo, tanto faz se avançamos muito ou pouco; o importante é avançar sempre, perseverar, dar um passo por dia. A satisfação não se encontra na meta, e sim no caminho.”

Pablo D’Ors, escritor e padre, no livro Biografia do Silêncio (Academia)

 

Continua após a publicidade
Publicidade