Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Uma planta tão potente quanto um remédio contra o Parkinson?

Usada há anos como planta ornamental, espécie nativa da África e da Ásia vira uma possibilidade real de tratamento

Por André Biernath Atualizado em 14 fev 2020, 18h23 - Publicado em 13 out 2017, 10h11

Comprimidos de levodopa são a única maneira de regular a doença de Parkinson, marcada por rigidez muscular e tremores. Mas já se sabe, faz um tempo, que a planta Mucuna pruriens possui boas quantidades desse princípio ativo em suas sementes. Cientistas de instituições italianas resolveram testá-la em um grupo de 18 pacientes.

  • Uma parte tomou o remédio sintético, enquanto outros se valeram das cápsulas naturais. E não é que a eficácia das duas abordagens foi parecida? “A ideia é, no futuro, dar uma alternativa a quem não tem condições de comprar o remédio na farmácia”, conta o neurologista Roberto Cilia, líder do trabalho. Como novos estudos precisam confirmar os achados iniciais, o fitoterápico ainda não está liberado para esse uso no dia a dia.

    Ficha técnica

    Nome científico
    Mucuna pruriens

    Nomes populares
    Feijão-da-flórida, feijão-cabeludo-da-
    -índia e feijão-maluco

    Parte utilizada
    Sementes em favas

    Origem
    África e Ásia

  • Continua após a publicidade
    Publicidade