Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O que é a meningite bacteriana e por que ela preocupa tanto?

Mortes pela doença voltam a virar notícia. E ela merece atenção mesmo: de evolução rápida, não só leva a óbito como deixa sequelas em crianças e adultos

Por Infográfico: Chloé Pinheiro, (texto) Rodrigo Damati (ilustração) Laura Luduvig e Estúdio Coral (design)
Atualizado em 14 ago 2023, 13h41 - Publicado em 14 ago 2023, 12h12

Entre junho e julho, mortes por meningite bacteriana voltaram a aparecer no noticiário nacional. É um reflexo da baixa cobertura vacinal.

Diversos imunizantes protegem da infecção, mas a cobertura vacinal para os principais ficou abaixo de 70% nos últimos anos. A meta é de 95%.

Entenda a seguir por que essa doença pode ser fatal tanto para crianças quanto para adultos.

O que é a meningite bacteriana?

A meningite é uma inflamação da meninge, membrana que envolve e protege o cérebro e a medula espinhal. A versão mais prevalente e ameaçacadora é a causada por bactérias.

Por isso, vamos falar aqui da meningite meningocócica, provocada por patógenos conhecidos como meningococos.

Continua após a publicidade

Como a meningite é transmitida?

São cinco subtipos bacterianos em circulação: A, B, C, Y e W.

As formas de transmissão variam um pouco entre eles, mas em geral o micróbio se dissemina pelo contato próximo com o doente ou com gotículas de saliva e secreções respiratórias contaminadas.

Escolinhas e locais fechados são ambientes propícios para isso.

+ Leia também: Meningite e desinformação: páginas que o Brasil precisa superar

Continua após a publicidade

Sintomas, diagnóstico e tratamento

A bactéria atinge a corrente sanguínea e, depois, se concentra nas meninges. Em poucas horas, se prolifera e provoca uma inflamação intensa.

Os sinais são exuberantes e surgem logo: febre alta, mal-estar abrupto, forte dor de cabeça, rigidez do pescoço e da nuca…

É preciso procurar atenção médica imediata e iniciar o tratamento com antibióticos. Em geral, é preciso ficar hospitalizado para receber as medicações.

Quanto mais rápido o diagnóstico, melhor a perspectiva do tratamento.

Continua após a publicidade
vacina-meningite-info
Clique para ampliar (Rodrigo Damati/SAÚDE é Vital)

Versões graves da meningite

O quadro pode progredir para uma meningococcemia, infecção generalizada. A taxa de mortalidade chega a 20% nesses casos.

Além disso, há sequelas como surdez, deficiência visual e amputação de membros.

Crianças pequenas, bebês e pessoas não vacinadas estão em maior risco de ter esses quadros severos.

Continua após a publicidade
sintomas-graves-meningite
(Rodrigo Damati/ Estúdio Coral/Laura Luduvig/SAÚDE é Vital)

Tipos de meningite

A meningite pode ser viral (nesse caso, desencadeia quadros mais leves), fúngica ou causada por outros tipos de bactérias — exemplos destacados são os pneumococos, por trás da doença pneumocócica, e a bactéria Hib, hoje rara no Brasil graças à vacinação em massa.

Batalha histórica

O Brasil foi atingido por uma grave epidemia de meningite nos anos 1970.

A ditadura militar escondeu dados e subestimou o problema, mas uma hora teve que ir atrás de vacinas.

Continua após a publicidade

Foi a primeira prova de fogo do recém-criado Programa Nacional de Imunizações (PNI).

+ Leia também: A batalha pela vacinação

Vacinas para meningite

vacinas-meningite
Clique para ampliar (VEJA SAÚDE/SAÚDE é Vital)

Casos e óbitos por meningite

casos-e-mortes-por-meningite

Fontes: Daniella Gregoria Bomfim Prado, infectologista e diretora técnica do Sabará Hospita l Infantil (SP); Ministério da Saúde

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.