Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Hemácias: o que elas fazem e qual a importância de monitorá-las

Os glóbulos vermelhos são células sanguíneas que transportam oxigênio. Acompanhar sua contagem é essencial para diagnosticar condições médicas

Por Yasmmin Ferreira
Atualizado em 24 Maio 2024, 09h35 - Publicado em 23 Maio 2024, 17h55

As hemácias, conhecidas também como glóbulos vermelhos ou eritrócitos, são células sanguíneas essenciais para o transporte de oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo. Elas também atuam na remoção do dióxido de carbono destes tecidos, levando-o de volta aos pulmões para ser exalado.

Com uma forma bicôncava característica, são altamente especializadas em otimizar a captura e a liberação de oxigênio. Essas células sanguíneas não possuem núcleo nem organelas, o que maximiza seu espaço interno. Elas são produzidas na medula óssea vermelha e têm uma vida útil média de aproximadamente 120 dias.

+Leia também: Hemoglobina: o que é e por que é importante monitorá-la com exames

Por que você deve ficar de olho na contagem das hemácias

Acompanhar as hemácias em exames de rotina é fundamental por várias razões.

Continua após a publicidade

Primeiramente, a contagem baixa de hemácias permite a detecção de anemias, uma condição em que o corpo não tem glóbulos vermelhos suficientes para transportar oxigênio adequadamente, causada por deficiências nutricionais, perda de sangue, doenças crônicas ou problemas na medula óssea.

O exame de sangue pode diagnosticar ainda policitemia, quadro com característica oposta à anemia: é marcado pelas hemácias altas. A presença excessiva dessas células pode ocorrer devido a doenças da medula óssea, desidratação ou problemas pulmonares.

Monitorar as hemácias também é fundamental para monitorar doenças crônicas, como as renais e as cardíacas, que podem afetar a produção e a destruição dessas células. Também é essencial na avaliação da eficácia de tratamentos, como os direcionados a anemias ou câncer, ajustando doses de medicamentos ou suplementos conforme necessário.

Continua após a publicidade

+Leia também: Para que serve o hemograma, o popular exame de sangue

Alterações nos níveis de hemácias podem ainda ser um indicador precoce de diversas condições médicas, permitindo intervenções mais rápidas e eficazes. Portanto, incluir a contagem de hemácias em exames de rotina é extremamente importante para a manutenção da saúde geral do corpo.

Hemácias e as transfusões de sangue

Transfusões de sangue envolvem diretamente as hemácias, que são as principais células envolvidas nesse processo que trata diversos problemas de saúde, incluindo anemias severas e perda aguda de sangue devido a cirurgias ou traumas.

Continua após a publicidade

Para o sucesso dessas transfusões, a compatibilidade sanguínea é crucial. E é a presença de antígenos específicos na superfície das hemácias que determina a compatibilidade entre o sangue do doador e o do receptor.

O sangue humano é classificado em grupos sanguíneos com base nesses antígenos. Os principais sistemas de classificação são o ABO e o Rh.

No sistema ABO, os tipos sanguíneos são A, B, AB e O, determinados pela presença ou ausência dos antígenos A e B nas hemácias. Além disso, o fator Rh indica a presença (Rh positivo) ou ausência (Rh negativo) do antígeno D nas hemácias.

Continua após a publicidade

Caso haja incompatibilidade entre doador e receptor, isso pode desencadear uma resposta imune, onde os anticorpos do receptor atacam e destroem as hemácias doadas, resultando em complicações graves como febre, dor, falência renal ou, em casos extremos, choque e morte.

E as hemácias na urina, o que significam?

A presença de sangue na urina, também chamada de hematúria, não é uma doença por si só, mas um sintoma de algum outro problema. Em geral, a eliminação de hemácias no xixi é algo que pode ser visto a olho nu, em função da cor alterada — e é, naturalmente, um motivo de susto e preocupação para quem se depara com essa situação.

É comum que haja eliminação de sangue na urina em função de doenças autoimunes, infecções do trato urinário e cálculos renais, mas diversas condições podem levar a esse quadro.

Continua após a publicidade

Além disso, é bom ter em mente que nem sempre a cor da urina se altera pela presença de hemácias. Alguns medicamentos e até alimentos como a beterraba podem provocar essa mudança. Por isso, um médico deve sempre ser consultado para entender a real causa da mudança de coloração.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.