saudeLOGO Created with Sketch.

Cirurgia na era da impressão 3D

Estudo aponta as vantagens (e os pontos a melhorar) no uso dessa tecnologia para guiar e customizar operações

Imagine que o médico pudesse fazer um molde da área a ser operada, verificasse os detalhes anatômicos e a forma mais eficaz de realizar o procedimento e, só então, partisse pra cirurgia. Pois isso já é uma realidade graças à impressão 3D. Embora esse e outros usos da tecnologia no campo cirúrgico estejam dando seus primeiros passos no Brasil e no mundo, uma revisão de 158 pesquisas conduzida por especialistas franceses levantou os prós e os contras da inovação até o momento.

Leia mais: Holandeses criam mamografia que não aperta

As principais vantagens elencadas são a maior precisão e rapidez durante o procedimento – os poréns seriam o preço e o período necessário para o planejamento. “A customização e a redução no tempo de cirurgia estão associadas a menor risco de infecções e menor custo hospitalar, o que é bem-vindo tanto para o paciente como para a seguradora de saúde”, avalia Felipe Marques, CEO da BioArchitects, empresa brasileira de impressão 3D.

Antes, durante e depois

Entenda como a impressão 3D pode contribuir com o sucesso das operações

Biomodelos

São moldes que retratam com exatidão as características do paciente. Permitem ao médico traçar a melhor tática cirúrgica.

Guias

Dispositivos feitos sob demanda de acordo com a anatomia do paciente que auxiliam a nortear ou realizar parte do procedimento.

Próteses

Peças únicas criadas para repor integral ou parcialmente áreas do corpo – não carecem de adaptações, como pode acontecer hoje.