Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Candidíase: tratamento, sintomas e prevenção

O que é essa doença, provocada pelo fungo Candida albicans, e o que fazer para controlá-la - de remédios a cremes.

Por Goretti Tenorio e Chloé Pinheiro Atualizado em 14 out 2020, 16h53 - Publicado em 21 ago 2017, 12h13

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans, que se aloja comumente na área genital, provocando coceira, secreção e inflamação na região. O micro-organismo vive normalmente no organismo sem causar danos, mas, em situações de desequilíbrio, aumenta a população e passa a ser danoso para o corpo. Isso acontece especialmente entre as mulheres, já que o fungo habita a flora vaginal.

Em períodos de baixa imunidade, o ambiente quente e úmido da região genital propicia a proliferação descontrolada, que muitas vezes exige tratamento. Pessoas com o sistema imune debilitado ainda podem sofrer com a candidíase na boca (é o sapinho), na garganta, na pele e nas unhas, entre outros locais.

  • Sinais e sintomas

    – Ardor, coceira e inchaço na região genital
    – Fissuras na mucosa genital que lembram assadura
    Corrimento esbranquiçado
    – No homem, aparece vermelhidão e uma espécie de nata na ponta do pênis
    – Aftas
    – Dor ao engolir alimentos

    Fatores de risco

    – Relação sexual sem preservativo
    – Roupa íntima apertada e de material sintético
    – Ficar muito tempo com maiô e biquíni molhado
    Diabetes
    – Obesidade
    – Gravidez
    – Deficiência imunológica causada por doenças como aids e câncer
    – Tratamento corrente com antibióticos

    A prevenção

    Para afastar a ameaça da candidíase vaginal, a higiene da região deve ser feita com sabonete de pH neutro. Dar preferência, é melhor optar pela calcinha de algodão, não usar absorvente íntimo todo os dias e evitar roupas muito justas ou molhadas por tempo prolongado.

    Não abrir mão da camisinha nas relações sexuais previne o contágio entre os parceiros.

    Pessoas com a imunidade comprometida, como portadores de HIV ou em tratamento contra o câncer, precisam de cuidados extras para prevenir a infecção pelo fungo. Lembre-se: a candidíase é uma doença oportunista.

    O diagnóstico

    Na consulta, o médico analisa a mucosa da vagina ou do pênis. Se necessário, uma raspagem da área afetada fornece uma amostra a ser analisada em laboratório para identificar o tipo de fungo causador do problema.

    O tratamento

    Na maioria dos casos, o profissional prescreve cremes de uso no local, em geral duas vezes ao dia. Também existe a opção de antifúngicos em comprimido. Quando a irritação é muito acentuada, o especialista pode associar o tratamento contra a Candida albicans a um medicamento via oral à base de corticoide.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade