Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

O Futuro do Diabetes

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Carlos Eduardo Barra Couri é endocrinologista, pesquisador da USP de Ribeirão Preto e criador do Endodebate e do Diacordis. Aqui ele mapeia os cuidados e os avanços para o controle do diabetes
Continua após publicidade

Dia Mundial do Rim 2024: novidades no tratamento da doença renal crônica

Depois de décadas sem grandes evoluções, o tratamento contra essa condição que afeta os rins ganhou uma série de medicamentos

Por Carlos Eduardo Barra Couri
14 mar 2024, 08h47

O Dia Mundial do Rim, celebrado este ano no 14 de março, serve para discutir com a sociedade sobre as doenças renais, seu tratamento e prevenção. Temos inúmeros tipos de disfunção dos rins, mas quero abordar uma condição silenciosa, comum e letal: a doença renal crônica.

A condição acomete cerca de 10% da população mundial, e é definida pela perda de função gradual e progressiva da capacidade dos rins de filtrar as impurezas do sangue. O diabetes e a pressão alta, principalmente se mal controlados, são as principais causas do problema no Brasil e no mundo.

Importante lembrar que a obesidade por si só é um fator de risco para a queda de função dos rins. Outro fator causador é o tabagismo.

A taxa de subdiagnóstico ultrapassa os 80% das pessoas em países ditos desenvolvidos. Dados alemães, por exemplo, apontam que 30% dos pacientes com estágio final, pré-diálise, passam em consulta sem diagnóstico.

E, para dar o diagnóstico, precisamos apenas de dois exames básicos: dosagem de creatinina no sangue e dosagem de albumina (uma espécie de proteína) na urina.

+Leia também: Pedras nos rins: causas, sintomas e tratamentos

Desde os anos 1980, quando do desenvolvimento do captopril por pesquisadores como o Sérgio Ferreira (da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto), não testemunhávamos grandes novidades no tratamento farmacológico desta condição. Quase 30 anos sem evolução até que, em 2021, foi aprovada a dapagliflozina para pessoas com doença renal crônica nos Estados Unidos.

Em 2023, uma “molécula-irmã”, a empagliflozina, também foi registrada por lá. Tanto a empagliflozina como a dapagliflozina são medicamentos inicialmente desenvolvidos para pessoas com diabetes tipo 2 e que posteriormente mostraram-se eficazes na redução do risco de progressão do dano renal. Elas atuam excretando glicose e sal pela urina, diminuindo a pressão nos rins e postergando a necessidade de diálise e transplante renal.

Em 2021, também tivemos a aprovação nos Estados Unidos da molécula chamada finerenona. Trata-se de um medicamento que bloqueia o hormônio aldosterona que faz com que ocorra inflamação e fibrose nos rins. Bloqueando este hormônio, o rim apresenta uma vida útil mais longa, postergando a necessidade de diálise ou de transplante de rins.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

No Brasil, a Anvisa aprovou o uso de dapagliflozina em pessoas com doença renal crônica. Já a finerenona só é liberada para quem tem a disfunção renal e diabetes tipo 2. A empagliflozina ainda aguarda aprovação em nosso país para este objetivo renal.

Continua após a publicidade

E as novidades não param por aí. Em 2023, tivemos o anúncio de mais uma molécula com benefícios em pacientes com dano renal crônico. Trata-se de uma velha conhecida contra o diabetes tipo 2 e redução do peso corporal: a semaglutida subcutânea semanal na dose de 1 miligrama (mg).

O estudo FLOW foi interrompido prematuramente devido aos benefícios da molécula em mais de 3 mil pessoas com diabetes tipo 2 e doença renal crônica. O estudo ainda não foi publicado na íntegra e não temos maiores informações, mas a farmacêutica Novo Nordisk divulgou que houve redução de 24% na ocorrência tanto de doenças renais quanto cardíacas nos participantes.

Em suma, em menos de cinco anos, tivemos mais novidades no campo da doença renal crônica da década de 1980 até o ano de 2020.

Boas notícias para o Dia Mundial do Rim 2024!

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.