Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Paternidade após os 60: o que é preciso saber?

Número de homens mais velhos que querem ser pais vem aumentando... Mas, para que o sonho seja concretizado, é importante zelar pela próstata

Por Paula Fettback, médica especialista em fertilidade*
22 nov 2021, 10h31

A exemplo de alguns famosos, muitos homens têm decidido ser pai após os 60 anos de idade, seja novamente, seja pela primeira vez. Isso é possível porque, em geral, um homem é capaz de produzir espermatozoides saudáveis ao longo de toda sua vida. Um dos impeditivos ou dificultadores desse sonho, porém, é o câncer de próstata, o tipo mais comum da doença entre a população masculina no Brasil.

Considerando a mudança no cenário familiar, em que muitos homens estão no segundo casamento e optam por ter filhos, é fundamental que, cada vez mais, eles sejam proativos com relação aos exames de prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, um problema que, sim, pode acarretar infertilidade. O cenário é mais crítico em homens com idade superior a 65 anos, mais propensos a desenvolver a doença.

Diante disso, destaco quatro medidas que devem ser de conhecimento das famílias que estão planejando uma gravidez dentro desse contexto tendo em vista seu bem-estar e a fertilidade.

+ LEIA TAMBÉM: Outros tempos para a próstata

1. Prevenir ainda é o melhor remédio

Infelizmente, sabemos que o preconceito é um dos inimigos da detecção precoce do câncer de próstata. Por isso, é fundamental que os homens busquem fazer seus exames preventivos, como a dosagem do PSA e o toque retal, de acordo com a recomendação médica. Lembrando que pessoas com mais de 60 anos, acima do peso e/ou com histórico familiar da doença são mais sujeitas a ela.

2. Esclareça dúvidas sobre fertilidade antes do início do tratamento

Em geral, o tratamento contra o câncer de próstata causa danos às glândulas ou a órgãos relacionados a elas, incluindo os testículos. Isso pode interromper ou diminuir a produção de espermatozoides.

Continua após a publicidade

Dessa forma, antes de iniciar a terapia, converse com o médico ou a equipe de saúde sobre os reflexos na fertilidade e o que pode ser feito para preservá-la. A orientação é que o homem tenha essa precaução mesmo que não tenha o desejo de se tornar pai pela primeira vez ou voltar a ter filhos. Afinal, nunca se sabe quando podemos mudar de ideia.

3. Às vezes, é preciso tempo para absorver o diagnóstico

Receber a notícia de que será preciso tratar um câncer de próstata é uma das etapas mais delicadas na jornada do paciente.

Alguns homens podem demorar um pouco mais para absorver o diagnóstico e as informações fornecidas. Então, caso seja necessário, agende um retorno para esclarecer possíveis dúvidas e fazer novos questionamentos ao médico e procure cuidar do seu estado mental.

+ LEIA TAMBÉM: Produtos diários colocam os espermatozoides em risco

4. Considere a reprodução assistida como uma alternativa para ter filhos

Quimioterapia, radioterapia e cirurgia são tratamentos que, no contexto da próstata, podem afetar a fertilidade. Mas isso não significa o fim do sonho de ser pai, mesmo com mais idade.

Continua após a publicidade

Daí a recomendação de procurar um médico especialista em reprodução humana para entender as possibilidades e definir o protocolo mais adequado caso a caso.

As opções hoje dependem da idade, do status de relacionamento e da maturidade física e emocional do homem. De um modo geral, contamos com congelamento do sêmen para futura inseminação ou fertilização in vitro e o congelamento do tecido testicular, que contém células-tronco que podem se tornar posteriormente espermatozoides.

Percebeu? A fertilidade tem muito a ver com a saúde da próstata. E fazer os exames preventivos pensando no diagnóstico precoce do câncer poupa sofrimentos também em relação a isso.

* Paula Fettback é ginecologista e especialista em infertilidade com doutorado pela USP

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.