Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Ganho de peso na menopausa: mito ou verdade?

A nova fase deve ser compreendida e inspirar novas atitudes para acolher essa condição comum e manejável

Por Paula Pires, endocrinologista*
1 set 2023, 10h08

Já respondendo a pergunta: é verdade que a mulher ganha mais peso nessa fase. À medida que envelhecem, elas podem perceber que fica mais difícil manter a silhueta de antes.

É comum que o ganho de peso comece até alguns anos antes da menopausa, durante o período conhecido como perimenopausa. E, segundo estudos, ele geralmente continua após a menopausa, na taxa de até 1,5 quilo por ano em média após os 50 anos.

Mas, isso acontecerá em todos os casos? Não! Podemos minimizar o fenômeno, prestando atenção a hábitos alimentares saudáveis e levando um estilo de vida mais ativo.

+ Leia também: A promessa de um novo remédio para fogachos

O que causa o ganho de peso na menopausa?

As mudanças hormonais da menopausa provocam uma redistribuição da gordura corporal, tornando provável que as mulheres ganhem mais gordura ao redor do abdômen, em vez dos quadris e coxas.

Mas as alterações hormonais por si só nem sempre levam ao ganho de peso. Há vários outros fatores que influenciam no processo nessa fase da vida.

Por exemplo, enquanto a gordura aumenta, a massa muscular geralmente diminui com a idade. Perder músculos diminui o gasto calórico do corpo. Ou seja, desacelera o metabolismo.

Continua após a publicidade

Essa alteração fisiológica pode tornar mais difícil manter a posição dos ponteiros na balança. Se você continuar comendo como sempre fez e não fizer mais atividade física, é provável que isso reflita no peso.

+ Leia também: Envelhecimento ovariano não precisa ser inimigo do bem-estar

Além disso, a maioria das pessoas se torna menos ativa à medida que envelhece, por diversos fatores. Entre eles, falta de energia, insônia, depressão, isolamento social, problemas financeiros.

Fatores genéticos também podem desempenhar um papel aqui. Se seus pais ou outros parentes próximos carregam quilos em torno do abdômen, você provavelmente também terá. E deve cuidar disso o mais cedo possível, pois a tendência é de piora com a idade.

Por fim, uma alimentação inadequada e um sono ruim podem contribuir para o ganho de peso na menopausa.

Vale lembrar que 80% das mulheres no climatério são acometidas pelos fogachos, aqueles calores que podem fazer com que elas despertem a noite. E, quando as pessoas não dormem o suficiente, tendem a comer e beber mais calorias.

Continua após a publicidade

Quão arriscado é esse ganho de peso?

Estar acima do peso nessa fase pode acarretar efeitos graves na saúde, especialmente quando há o acúmulo de gordura abdominal. Os problemas incluem:

● Doenças respiratórias
● Doença cardíaca e dos vasos sanguíneos
● Diabetes tipo 2
● Aumento de risco de alguns tipos de câncer, incluindo mama, cólon e endométrio
● Piora dos sintomas da menopausa como fogachos, alterações de humor e insônia

Corega_Balanca
Atividade física pode ajudar na perda de peso (Kali9/Getty Images)

Qual é a melhor maneira de prevenir o ganho de peso na menopausa?

Não existe uma fórmula mágica para prevenir – ou reverter – este processo. Mas aderir a princípios básicos do emagrecimento pode ajudar:

Em primeiro lugar, movimente-se mais. A atividade física, incluindo exercícios aeróbicos e treinamento de força, pode ajudá-la a perder quilos extras. À medida em que o corpo ganha músculos, queima melhor as calorias.

Para a maioria dos adultos saudáveis, os especialistas recomendam atividade aeróbica moderada. Isso inclui caminhada rápida por pelo menos 150 a 200 minutos por semana ou atividade aeróbica vigorosa, como corrida, por pelo menos 75 minutos por semana.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Radar da saúde: os fardos da menopausa e outras notícias de impacto

Os treinos de força são recomendados pelo menos duas vezes por semana. Se você deseja perder peso ou atingir metas específicas de condicionamento físico, talvez precise se exercitar mais.

Mover-se mais também pode ajudar a dormir melhor. Isso pode tornar mais fácil se exercitar mais.

Ah, e encontre um tempo para cuidar de você. As atividades que você gosta de fazer podem ajudá-la a se exercitar. Isso pode incluir jardinagem, ioga ou outros hobbies ativos.

Como devo me alimentar?

Coma menos. Para manter seu peso nessa fase, você pode precisar de cerca de 200 calorias a menos por dia durante os 50 anos do que durante os 30 e 40 anos. Já emagrecer pode significar ingerir ainda menos calorias (mas sempre com comidas nutritivas e ricas em fibras).

Se estiver difícil, procure ajuda de um médico especialista em obesidade e sobrepeso para te ajudar nesse processo.

Continua após a publicidade

Hoje em dia, a ciência evoluiu bastante e existem muitos tratamentos comprovados que podem ajudar no controle do apetite, na compulsão por doces e no comer emocional.

É importante ainda limitar o álcool e o açúcar extra. As bebidas alcoólicas adicionam calorias extras desnecessárias na sua conta. Já os açúcares adicionados representam quase 300 calorias por dia, em média.

Cerca de metade dessas calorias vem de bebidas como refrigerantes, sucos, bebidas energéticas, águas com sabor e café e chá açucarados.

Outros alimentos que contribuem para o açúcar extra na dieta incluem biscoitos, tortas, bolos, rosquinhas, sorvetes e doces.

Procure apoio. Cerque-se de amigos e entes queridos que apoiam seus esforços. Melhor ainda: junte-se e faça as mudanças no estilo de vida juntos.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Por que a infecção urinária se repete em algumas mulheres?

A terapia hormonal ajuda a diminuir o ganho de peso?

O tratamento ajuda a reduzir as ondas de calor e melhora muito o sono da mulher nessa fase.

E também pode colaborar para a redistribuição da gordura que se acumula no centro do corpo ou no abdome. Esse tipo de gordura é chamada de gordura visceral e é a mais perigosa para a saúde.

E não se preocupem: a terapia hormonal não causa ganho de peso.

Lembrem-se, assim como o corpo da mulher muda após a gestação, ganhar peso durante a menopausa é comum e até esperado.

Abraçar e aceitar as mudanças pode ajudar na sua saúde mental e qualidade de vida. Mas você pode controlar esse processo melhorando seus hábitos. Comprometa-se e desfrute de uma versão mais saudável de você em qualquer idade!

*Paula Pires é endocrinologista e metabologista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.