Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Check-up com Sidney Klajner

O cirurgião e presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein levanta e debate as tendências e os desafios que interferem em nosso dia a dia e na saúde pública do país
Continua após publicidade

Carrapatos: além da febre maculosa, que doenças eles transmitem?

Esses parasitas podem disseminar outras enfermidades para os humanos

Por Sidney Klajner
25 jul 2023, 18h05

A febre maculosa ganhou destaque no noticiário recente, com 53 casos e 8 mortes de janeiro até a metade de junho, segundo dados do Ministério da Saúde. Em julho, uma nova morte foi confirmada no município de Mogi Mirim (SP).

Essas fatalidades chamam a atenção para o risco dessa doença, que é causada por uma bactéria que tem como principal hospedeiro os carrapatos.

Só que, além dela, existem outras enfermidades que esses parasitas, quando infectados por bactérias ou vírus, podem transmitir para os seres humanos.

+ Leia também: Quais são os sintomas da febre maculosa? Saiba como evoluem

São doenças bem pouco comuns, mas que, quando ocorrem, podem evoluir para quadros graves.

De acordo com Paula Tuma, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, com quem conversei sobre o assunto, as principais doenças transmitidas por carrapato são:

Febre maculosa

É a mais incidente no Brasil, transmitida pelo carrapato-estrela infectado por bactéria da família Rickettsia. É conhecida nos Estados Unidos como Febre das Montanhas Rochosas.

Continua após a publicidade

Por aqui, o carrapato hospedeiro da bactéria está presente em animais silvestres como a capivara, mas também pode estar em cavalos e animais domésticos que circulem em áreas com esses parasitas.

Os principais sintomas da febre maculosa brasileira são febre alta, dor de cabeça intensa, dores musculares, mal-estar geral e erupção cutânea maculopapular (manchas avermelhadas na pele).

Se não for tratada precocemente com antibióticos, pode levar a complicações graves, como insuficiência renal, insuficiência respiratória e até mesmo óbito.

+ Leia também: O que é febre maculosa

Doença de Lyme

Ocorre principalmente na América do Norte, especialmente nos Estados Unidos. É transmitida pelo carrapato Ixodes, um tipo comum do parasita, infectado com a bactéria Borrelia burgdorferi.

Nos quadros mais graves, a doença provoca fortes dores nas articulações, problemas neurológicos (como meningite e paralisia temporária de um lado do rosto), fadiga extrema e fraqueza nos membros, entre outros sintomas.

Continua após a publicidade

No Brasil, não há registros da doença.

Erliquiose e anaplasmose

Essas duas doenças são transmitidas por carrapatos infectados por bactérias da família Anaplasmatacea: a Erlichia, no caso da erliquiose, e a Anaplasma phagocytophilum, no da anaplasmose.

Os sintomas iniciais são semelhantes, incluindo dor de cabeça, náusea e fraqueza muscular.

As duas enfermidades podem evoluir para falência respiratória e sangramento. A erliquiose também pode afetar o sistema nervoso.

No Brasil há pouquíssimos casos registrados dessas doenças.

Continua após a publicidade

+ Leia também: O estranho caso da febre maculosa

Babebiose

É uma infecção dos glóbulos vermelhos do sangue provocada por protozoários do gênero Babesia, transmitido por carrapatos Ixodes.

Na grande maioria dos casos, é uma doença assintomática ou com sintomas leves (febre, cansaço, dor no corpo, dor de cabeça, calafrios).

No entanto, pode gerar quadros mais graves em idosos e pessoas com o sistema imunológico comprometido. Raramente se diagnosticam casos de babebiose no Brasil.

Sintomas em comum

Os sintomas iniciais da maioria das doenças transmitidas por carrapatos são semelhantes: manchas vermelhas na pele, febre, calafrios, dor de cabeça e dor muscular.

Assim, na presença de qualquer desses sinais, principalmente se você fez caminhadas na mata ou esteve em locais com possível presença de carrapatos, é importante procurar logo um serviço médico.

Continua após a publicidade

A maioria dessas doenças é tratada com antibióticos específicos e, no caso da babebiose, combinados com um medicamento usado na malária.

Prevenindo doenças transmitidas por carrapatos

Ao visitar lugares em que possa haver presença de carrapatos, utilize roupas claras para facilitar a identificação, opte por blusa/camisa de manga longa, calças e calçados fechados e aplique repelentes contra carrapatos na pele e sobre a roupa.

No retorno, lave as peças com água quente.

Outra recomendação para quem andou por esses ambientes é fazer uma busca ativa para verificar a presença desses parasitas no corpo, visto que sua picada não dói e pode passar imperceptível.

Se encontrar um carrapato…

Caso encontre carrapatos, deve-se retirá-los com uma pinça, sempre protegendo as mãos, e tentando removê-lo por inteiro.

Continua após a publicidade

É importante evitar estressar o parasita utilizando outros métodos de retirada, como aquecimento, pois a inoculação da bactéria pode ser maior.

No geral, para inocular efetivamente e transmitir a doença, o carrapato precisa ficar grudado no corpo de 4 a 6 horas, sendo que o período de incubação da doença gira em torno de 2 a 14 dias após o contato.

Não é indicada a profilaxia com medicamentos após o contato com carrapato, e sim tratamento imediato ao surgirem sintomas.

Embora as doenças transmitidas pelos carrapatos possam evoluir de forma grave, esse risco diminui quando elas são tratadas precocemente com antibioticoterapia. Com o manejo adequado, a evolução tende a ocorrer de forma benigna e com resolução total do quadro.

Mesmo considerando que as doenças transmitidas por carrapato são pouco comuns no Brasil, é importante lembrar que podem ser enfermidades muito graves.

Portanto, também para elas deve-se aplicar doses generosas de autocuidado com a saúde e, claro, se esteve em locais que possam ser de risco, comunique o seu médico.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.