Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Boa Pergunta

Por Blog
Dúvidas sobre saúde enviadas pelos leitores e leitoras são respondidas com o apoio de profissionais da área.
Continua após publicidade

Quem tem pressão alta pode tomar cerveja e outras bebidas alcoólicas?

A hipertensão, que aumenta o risco de doenças cardiovasculares, tem algumas conexões com o exagero no consumo de álcool

Por Fabiana Schiavon
Atualizado em 29 out 2021, 14h08 - Publicado em 27 out 2021, 19h01

Estima-se que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas tenha relação com mais de 200 tipos de doença. Pois é: não é só o fígado que paga o pato, não. O corpo todo acaba sofrendo os reflexos do abuso. Mas será que tomar cerveja faz mal para quem convive especificamente com pressão alta? Essa foi a pergunta que um leitor nos mandou por e-mail.

O cardiologista Marcelo Paiva, do Hospital Nove de Julho, em São Paulo, lembra, em primeiro lugar, que o etanol está associado a esse distúrbio de diversas formas.

Com o tempo, o consumo desse tipo de bebida leva ao aumento da pressão pela ação direta que o álcool exerce sobre a parede das artérias, o que prejudica o bombeamento de sangue pelo corpo. Sem falar que a substância reduz os níveis de óxido nítrico, elemento que auxilia no relaxamento dos vasos.

“Há, ainda, mecanismos indiretos. O álcool é fonte de carboidrato, cujo exagero está relacionado ao ganho de peso. Isso pode desencadear alterações na pressão arterial, além de contribuir para o diabetes e o aumento do colesterol“, informa o cardiologista.

Logo, consumir bebidas alcoólicas em grandes quantidades – o correspondente a mais de duas latas de cerveja por dia – pode favorecer o desenvolvimento da hipertensão. Cada caso é um caso, mas, a princípio, essa é a dose máxima segura para todas as pessoas, mesmo para aquelas que já apresentam a doença.

Continua após a publicidade

De qualquer forma, na presença de uma condição de saúde e/ou se houver ingestão de remédios, é essencial consultar um especialista para verificar se é tranquilo mesmo tomar cerveja e afins e em qual quantidade.

“Agora, quando se restringe esse hábito, há benefícios significativos no controle da pressão arterial e na redução do risco de eventos cardíacos“, avisa Paiva.

+ LEIA TAMBÉM: A evolução no diagnóstico e no tratamento da hipertensão

Segundo o cardiologista, se o indivíduo não tiver nenhum problema prévio nem tomar medicações, o consumo moderado de álcool não será capaz de desregular a pressão por si só. Mas, veja bem: isso vale para a ingestão com parcimônia. O exagero sempre é ligado a riscos.

Continua após a publicidade

Inclusive, vale ressaltar que quem não bebe entre segunda e quinta-feira não tem acúmulo de saldo para o final de semana. Isso também é tido como abuso.

O cardiologista aproveita para reforçar o conceito da pressão normal. “Via de regra, 1,20 x 80 mmHg são valores considerado normais”, explica. Abaixo ou acima dessas taxas, acende-se o sinal amarelo. “Quanto maiores os níveis, maior o risco de complicações, principalmente no sistema cardiovascular”, reforça Paiva.

Não raro, o primeiro sinal de que uma pessoa tem hipertensão já é um infarto ou derrame. Portanto, não deixe de acompanhar suas taxas.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.