Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês
O Futuro do Diabetes Por Blog Carlos Eduardo Barra Couri é endocrinologista e pesquisador da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), além de autor do livro O Futuro do Diabete (Ed. Abril). Aqui ele mapeia os cuidados e os avanços para o controle do problema

O perigo do coronavírus para quem tem diabetes

Pessoas com a doença que faz a glicose ficar nas alturas são mais suscetíveis aos estragos do novo vírus vindo de Wuhan (China), aponta nosso colunista

Por Dr. Carlos Eduardo Barra Couri - Atualizado em 17 mar 2020, 12h26 - Publicado em 27 jan 2020, 12h04

Uma nova e preocupante doença viral tem tomado conta dos noticiários desde o início de 2020. Trata-se de uma infecção provocada por um coronavírus.

Parece que o vírus pode ter sido transmitido a humanos pela ingestão de animais silvestres na região da cidade de Wuhan, na China. A transmissão inter-humana existe, mas pouco se sabe da forma exata de contágio. Estima-se que o período de incubação do vírus em humanos é de dois a 14 dias — ou seja, o indivíduo pode ter sido infectado pelo vírus e apenas ter os sintomas após dois a 14 dias. Não se sabe ainda se, durante o período de incubação, o vírus seria transmitido entre humanos.

Em suma, pouco se conhece sobre a biologia desse agente infeccioso, mas já está claro que ele é capaz de trazer sintomas como os de uma gripe e levar a uma insuficiência respiratória aguda associada ou não a insuficiência renal.

Ele já acometeu mais de 2,5 mil pessoas e ocasionou 81 mortes até o dia 26 de janeiro. Calcula-se que a letalidade da doença seja, por ora, inferior a 5%.

Continua após a publicidade

Mas você vai me perguntar: o que o diabetes tem a ver com o coronavírus?

Dentre os casos de morte pela infecção, chama a atenção o fato de ocorrerem em pessoas que já tenham algum grau de comprometimento da saúde, como idosos, pessoas acamadas e portadoras de doenças crônicas. Na China, cerca de 20% das pessoas contaminadas que deram entrada em hospitais tinham diabetes. Dentre os casos de morte, até 10% são de pacientes com diabetes.

Não sabemos ainda se a infecção por coronavírus tomará proporções de epidemia mundial e se será altamente letal. Infectologistas ainda estão estudando melhor a doença.

Enquanto isso, continuamos nossa batalha contra os números de diabetes no Brasil e no mundo. Temos cerca de 32 milhões de pessoas com diabetes e pré-diabetes no país. A doença é hoje a quarta causa de mortes em mulheres e quinta causa de mortes em homens. Trata-se da principal causa de insuficiência renal crônica e cegueira por aqui, além da segunda causa de amputações.

Continua após a publicidade

Sim, vivemos uma epidemia de diabetes, que, por ser silencioso, talvez não cause tanto alvoroço.

Diante da ameaça do coronavírus, cabe lembrar que o diabetes fora de controle aumenta os estragos provocados por essa e outras infecções. Convém se proteger.

Publicidade