Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Um aparelho auditivo movido à energia solar

Dispositivo criado no Brasil dispensa uso de baterias tradicionais

Por Chloé Pinheiro (colaboradora) - Atualizado em 28 out 2016, 09h55 - Publicado em 15 set 2015, 16h10

Na sede da ONG Cefac, na capital paulista, adolescentes surdos se reuniam quase diariamente para uma tarefa muito especial. Com a supervisão de estudantes do Instituto de Tecnologia da Universidade de São Paulo, os jovens aprendiam tudo sobre eletrônica e conseguiram dar forma ao Solar Ear, um aparelho auditivo oito vezes mais barato do que os similares no mercado. 

Como sugere o nome, a engenhoca é recarregada com luz solar, eliminando um dos principais custos dos aparelhos tradicionais, que dependem da troca de bateria. Em dias nublados, o sistema do dispositivo consegue compensar a menor oferta de raios solares.  

Embora as peças do Solar Ear sejam importadas, é a própria ONG que se responsabiliza pela montagem, o que torna o preço muito mais acessível. Os alunos ainda ganham um certificado pelos conhecimentos adquiridos. 

O projeto, implementado pela primeira vez na África do Sul, beneficia agora crianças e adolescentes brasileiros. Trunfo que fez dessa iniciativa um dos destaques da categoria Saúde da Criança do Prêmio SAÚDE 2009. E saiba que a premiação chega neste ano à sua décima edição. No www.premiosaude.com.br você poderá conhecer mais sobre ela e, em breve, votar nos seus trabalhos preferidos.

Continua após a publicidade
Publicidade