Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Teste rápido contra a anemia

Exame criado no Brasil leva resultados mais rápidos a populações afastadas dos grandes centros

Por Chloé Pinheiro (colaboradora) Atualizado em 8 abr 2021, 18h20 - Publicado em 3 nov 2015, 10h55

Uma em cada quatro pessoas no planeta têm deficiência de ferro, que dá origem à anemia. Nas crianças, além da falta de ânimo, sonolência e dores de cabeça, esse problema provoca um déficit no sistema nervoso capaz de causar problemas para a vida toda, inclusive de aprendizado.

Apesar de ter tratamento simples, a doença só é detectada por meio de um exame de sangue. E, em algumas regiões do país, a amostra demorava até um mês para ser analisada.

Para resolver o impasse, pesquisadores do Centro Assistencial Cruz de Malta, em São Paulo, testaram um aparelhinho chamado de Agabe, versão nacional e mais barata de um dispositivo criado na Suécia que mede instantaneamente os níveis de hemoglobina – a proteína que carrega o ferro – no sangue.

A equipe provou a eficácia da engenhoca em campo, avaliando grupos de crianças e adultos em diversas regiões do país, como no litoral paulista e em comunidades ribeirinhas do Pará. Com o argumento do resultado rápido, a população foi mobilizada para fazer o exame.

  • Mais: quem apresentou resultado positivo foi tratado e reavaliado 12 semanas depois. Após esse período, as taxas de hemoglobina dos anêmicos subiram bastante e de maneira parecida em todas as localidades, a despeito de diferenças culturais e econômicas. Prova de que o diagnóstico ligeiro faz a diferença em qualquer canto do mundo.

    O trabalho rendeu ao time paulistano o troféu na categoria Saúde e Prevenção do Prêmio SAÚDE 2012. Em 2015, a premiação que homenageia as maiores pesquisas científicas e campanhas em prol do bem-estar dos brasileiros completa dez anos. Saiba tudo sobre ela clicando aqui.

    Continua após a publicidade
    Publicidade