Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Queda de cabelo no pós-parto é normal?

A perda dos fios após o nascimento dos bebês é uma reclamação comum entre as mães. Descubra por que isso acontece e como amenizar o problema

Por Maria Tereza Santos 26 set 2018, 15h42

Uma queixa constante entre as mulheres que acabaram de se tornar mães é a queda de cabelo no período inicial da amamentação, logo após o nascimento do bebê. Esse quadro tem até nome técnico: eflúvio telógeno pós-parto.

Trata-se de uma inflamação aguda dos folículos capilares comum nesse momento da vida. De acordo com a dermatologista Carla Bortoloto, de São Paulo, há dois grandes motivos para isso.

O primeiro e principal é a diminuição súbita na concentração de certos hormônios. Carla explica que, durante a gravidez, existe um aumento da quantidade de hormônios femininos, como a progesterona e o estrógeno. Só que eles caem bruscamente depois do parto – e demoram em torno de três meses para níveis normais.

“O ciclo capilar é muito influenciado pelos hormônios. Qualquer irregularidade ou desequilíbrio, como a que ocorre na gestação e logo após ela, pode provocar queda de cabelo”, completa a especialista em dermatologia clínica e cirúrgica.

A outra razão, no caso das mamães que passaram por cesárea, é o estresse cirúrgico, uma reação que ocorre em todo tipo de operação invasiva. “A perda dos fios ocorre devido ao procedimento em si e aos medicamentos, como os anestésicos”, afirma Carla.

Continua após a publicidade

Normalmente, as mechas começam a cair a partir do terceiro mês depois do nascimento do bebê. Isso porque os danos provocados no couro cabeludo demoram um tempo para terminarem em cabelos no chão. A intensidade do problema e o tempo de duração variam de mulher para mulher.

Mas não para por aí. Anemia proveniente de eventuais sangramentos durante o nascimento, depressão pós-parto, alterações na tireoide e doenças autoimunes também culminam em rareamento das madeixas. Por isso, sempre procure o dermatologista para que ele faça um bom diagnóstico.

Dá para amenizar a perda de cabelo

Cada caso deve ser analisado individualmente. O tratamento às vezes envolve suplementos alimentares, remédios anti-inflamatórios ou até uso de laser.

“O laser de baixa energia, LED ou fotobiomodulação reduz a liberação de moléculas que causam o estado inflamatório”, informa Carla.

Além disso, a regra básica é cuidar especialmente bem dos fios durante os nove meses para que eles resistam ao momento do parto. Atitudes como baixar a temperatura do secador, ficar longe da chapinha, pentear as madeixas com delicadeza e dar preferência para penteados “mais soltos” são bem-vindas. Assim, você evita que o calor excessivo e o puxa e repuxa prejudiquem a cabeleira.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)