Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

O ponto da carne interfere nos riscos à saúde?

O modo de preparo pode, sim, gerar compostos cancerígenos

Por Redação Saúde é Vital - Atualizado em 28 Oct 2016, 01h27 - Publicado em 19 Sep 2016, 06h30

Os bifes muito tostados ficam impregnados de agentes cancerígenos. E isso acontece sobretudo no churrasco. No dia a dia, os experts sugerem dar prioridade ao cozimento na panela para não favorecer encrencas. Quando exposta a mais de 300 °C, a carne passa a concentrar compostos nocivos. Até o nome deles assusta: aminas heterocíclicas e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos. Para dar um chega pra lá nessa turma, evite assar peças muito grandes, que precisam de mais tempo no braseiro. Deixar os pedaços numa marinada de vinho ou cerveja, alho e ervas aromáticas por 30 minutos também é uma boa, porque eles cozinham mais facilmente. E atenção para não deixar a carne no fogo um tempão de um lado só. Aquela crosta é evidência de perigo.

Publicidade