Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Longe da leptospirose: os cuidados necessários com os cães nos períodos de chuvas

Com uma maior frequência de chuvas ao final do dia, aumentam as chances de enchentes em pontos das cidades. Com isto, muitos de nossos amigos peludos ficam expostos a doenças, como a leptospirose.

Por Redação M de Mulher Atualizado em 28 out 2016, 02h03 - Publicado em 23 mar 2014, 22h00

Ela pode parecer inovenciva, mas a chuva pode fazet com que seu cão fique doente.
Foto: Getty Images

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria e transmitida através da urina do rato. No período de chuvas existe um  aumento de sua incidência e transmissão tanto para o homem, quanto para os cães. Por isto, torna-se importante reconhecer os sinais desta doença que pode ser fatal e saber como preveni-la.

Alguns sinais devem ser observados no cão como a coloração da mucosa, que fica amarelada, isto porque a doença pode atacar o fígado. Torna-se importante também observar a coloração da urina, que na doença apresenta um aspecto escuro semelhante à cor de “ coca-cola”. Como a leptospirose afeta também os rins, o cão pode apresentar uma insuficiência renal aguda, parando de urinar. Portanto, trata-se de uma enfermidade muito grave e que pode passar para o ser humano. Existe tratamento com chances de cura para a doença que deve ser tratada em ambiente hospitalar pelo risco do contagio aos familiares. No Hospital Veterinário o bicho é manipulado com luvas e receberá tratamento com  soro e antibióticos.

E como fazer para prevenir?

Devido a gravidade da doença é de suma importância agir em sua prevenção. Para isto, os cães devem ser vacinados contra a leptospirose.  A Vacina V8 apresenta dois sorotipos para  imunizar contra a doença, já na vacina V10 são 4 sorotipos, ou seja, protege contra 4 cepas (tipos) de bactérias da leptospirose. Se o animal morar em região que exista risco de ratos como, por exemplo, em casas próximas a terrenos é importante fazer um reforço a cada 6 meses (existe uma vacina para este reforço somente contra leptospirose).

Já um cão de apartamento pode tomar o reforço anualmente, mas nunca deixar de ser vacinado. Com a vacina V8 ou V10 o animal produzirá anticorpos anualmente para várias doenças, incluindo a leptospirose. Manter ambientes livres de roedores (ratos) também é fundamental. Evite manter a ração exposta no quintal o dia todo. Alimentos em exposição podem ser atrativos para os ratos. Forneça este alimento ao seu cão em horários específicos e retire-o após comer. Recolha o lixo do quintal acondicionando-o em local apropriado.

Com estas medidas simples seu amigo estará livre e protegido para curtir com muita saúde toda a família!

 

 

Longe da leptospirose: os cuidados necessários com os cães nos períodos de chuvas Dr. Mário Marcondes é diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo.
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês