Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Em defesa das mamas e da autoestima

A jornalista e psicóloga Valéria Baraccat Gyy, idealizadora e diretora do Instituto Arte de Viver Bem (SP), fala da importância de resgatar a autoestima e a qualidade de vida de mulheres que enfrentam a dura batalha contra um câncer de mama

Por Redação Saúde é Vital
16 out 2016, 07h00

Por Valéria Baraccat Gyy

A lei que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar a cirurgia de reconstrução das mamas imediatamente após a retirada do câncer ou quando existem condições médicas adequadas está em vigor há mais de três anos. Na prática, porém, nem todas as mulheres têm acesso a esse direito. De acordo com o Ministério da Saúde, das 9,1 mil submetidas à mastectomia em 2015, 85% tiveram as mamas reconstruídas. Se os números acima correspondem à realidade, são 1 300 mulheres que ainda não conseguem se olhar no espelho. Parece pouco, mas são mais de mil tristes semblantes convivendo com o fantasma da mutilação. 

Leia também: O que é o câncer de mama?

 

Enquanto faltam próteses e hospitais e profissionais capacitados para esse tipo de cirurgia, a doença avança, a autoestima desaparece e sobram angústia, medo e impotência. Como levar uma vida normal sem o principal símbolo da feminilidade? As mamas são os órgãos de maior referência corporal para nós. Se todos estamos aqui é porque uma mulher nos gerou. Nosso primeiro alimento veio das mamas. Lenços, perucas e maquiagem não são suficientes para devolver a autoestima. Quando se reconstrói a mama, voltamos a nos sentir inteiras. A mulher mastectomizada perde não apenas autoestima. Perde também qualidade de vida — depressão, casamentos destruídos, sexualidade ferida e desemprego tendem a fazer parte da rotina de muitas delas. É o que atesta um estudo recente realizado pelo conceituado Centro do Câncer MD Anderson, nos Estados Unidos. 

Leia também: Dormir pouco aumenta o risco de câncer de mama

 

Os especialistas examinaram, durante quatro anos, o bem-estar psicossocial de 216 pacientes durante o processo de reconstrução das mamas. A pesquisa mostrou que mulheres que tiveram a mama reconstruída apresentaram ganhos significativos em relação à qualidade de vida e à imagem corporal. Quanto mais cedo era feita a reparação, menos expostas elas ficavam aos problemas emocionais. Esse trabalho só confirma o que já vivenciamos no Instituto Arte de Viver Bem, que, desde 2009, dá apoio a pacientes com a doença. Depois de passar eu mesma por 15 cirurgias e conviver diariamente com outras mulheres que aguardam pela volta de sua feminilidade, espero que este Outubro Rosa seja diferente. Que ele não venha somente alertar a população sobre a importância da detecção precoce mas também conscientizar a sociedade e o governo sobre a urgência de botar em prática políticas de resgate da autoestima e da qualidade de vida de mulheres que atravessam essa difícil experiência.

Leia também: Maioria das brasileiras só descobre o câncer de mama no autoexame, diz estudo

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.