saudeLOGO Created with Sketch.

Café para viver mais?!

A bebida queridinha do brasileiro foi tema de um estudo que mostra que o hábito de tomar algumas xícaras por dia pode aumentar a longevidade

O Brasil é o segundo maior consumidor de café do mundo — e, segundo um trabalho realizado pela Universidade Stanford, nos Estados Unidos, essa é uma ótima notícia. Os pesquisadores descobriram que a cafeína age contra a inflamação crônica relacionada ao envelhecimento. Pois é: parece que o cafezinho faz muito mais do que só dar energia.

Vamos por partes. Em primeiro lugar, os cientistas analisaram amostras de sangue de 100 pessoas, entre jovens e idosos, para ver quais genes eram especialmente ativos em pessoas mais velhas. Com isso, encontraram trechos do DNA responsáveis pela produção de uma proteína inflamatória, a IL-1 beta. Também mostraram que, quanto mais anos de vida o sujeito possui, mais esses “genes inflamatórios” trabalhavam.

Até aí, nada de muito novo, uma vez que esse é um processo natural do envelhecimento. “A maioria das doenças da idade não são realmente da idade, mas sim provocadas pela inflamação”, explica David Furman, líder do estudo, em um comunicado.

Leia mais: Café x Câncer

Mas e o café com isso? Os pesquisadores notaram que, mesmo entre os mais maduros, alguns tinham esses genes menos ativos que outros. E os idosos com baixo processo inflamatório curiosamente consumiam café com regularidade. Ao investigar isso a fundo, os experts descobriram que a cafeína e outros componentes da bebida inibem o circuito inflamatório.

“Nossas descobertas mostram que um processo inflamatório associado ao envelhecimento é desencadeado por fenômenos que nós podemos combater”, contextualiza Mark Davis, que trabalhou no estudo, no site da universidade.

Ah, e se você é da turma do chá, não se preocupe. O mesmo artigo aponta que a teofilina, encontrada na bebida, também faz as vezes de substância anti-inflamatória.

Leia mais: Café coado ou instantâneo: qual traz mais benefícios à saúde?