saudeLOGO Created with Sketch.

TV boa para cachorro: conheça a DogTV

Canal com programação exclusiva para cães chega ao Brasil com a promessa de amenizar a ansiedade dos bichos

Se muita gente relaxa ao assistir televisão, por que não dar essa chance à cachorrada? Essa é a ideia do canal americano DogTV, já disponível para assinatura no Brasil. Com músicas suaves e cenas de paisagens e outros animais, ele vem com a proposta de sossegar os peludos.

“A programação chama a atenção. Eles realmente se acalmam com ela”, avalia Mario Marcondes, diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo. O canal seria bem-vindo sobretudo contra a síndrome de ansiedade de separação, transtorno que ocorre quando a pessoa mais próxima do cão se ausenta e o animal tem alterações comportamentais.

No entanto, lembre-se de que a presença e a atenção do dono continuam fundamentais. “O cão com a síndrome perde o interesse por outros estímulos que não sejam a presença da figura de vínculo. Com isso, não come e não interage com brinquedos. Portanto, há grande probabilidade de que não se interesse pela TV”, contrapõe o veterinário Guilherme Soares, da Universidade de Vassouras, no Rio de Janeiro.

Segundo ele, em alguns casos, o canal pode se tornar um gatilho de sinalização para a saída do tutor, o que pode potencializar os sinais da síndrome.

Separação sofrida

Latidos, choros, uivos, além de cocô ou xixi em locais inapropriados e comportamento destrutivo, são sinais da síndrome da separação. E é importante dar bola para ela.

O acompanhamento com o veterinário é fundamental para o animal não perder qualidade de vida”, atesta Soares.

Veja também

Outras táticas consagradas para acalmar os cachorros

Passeio é prioridade: “Ao se exercitarem, eles ficam cansados e liberam endorfina, que gera bem-estar“, aponta Marcondes.

Treino intenso: finja que ficará fora por um tempo. Assim ele acaba entendendo que sair de casa é parte da rotina.

Ofereça distração: brinquedos interativos, como aquelas bolinhas que liberam ração, caem bem para entretê-los.

Deixe seu cheiro: para os filhotes, vale deixar pela casa uma roupa sua. Assim, eles não se sentem tão sozinhos.

Nada de ossinhos: eles podem provocar engasgos. “Nunca dê ossos de couro sem supervisão”, alerta Soares.

Aposte em creches: “Funcionam da mesma forma que as infantis”, diz Marcondes. Se couber no orçamento, é uma saída.

Mantenha a calma: ao chegar ou sair de casa, contenha as emoções para não agitar ainda mais o melhor amigo.

Tente o adestramento: “O ideal é consultar antes o veterinário e seguir suas orientações”, diz Soares. Quando ele indicar, vá atrás.