Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mito ou verdade? Tire suas dúvidas sobre dor de garganta

Sorvete, ar condicionado e poluição podem mesmo piorar esse incômodo?

Por Abril Branded Content
Atualizado em 17 jul 2017, 19h23 - Publicado em 14 jul 2017, 12h05

Há muitos mitos relacionados à dor de garganta. Você sabe, por exemplo, se o frio pode causar esse desconforto? E o ar condicionado do carro? Para esclarecer essas e outras questões, pedimos a ajuda dos otorrinolaringologistas Renata Dutra de Moricz e Thiago Bezerra. Confira a seguir o que faz – ou não – sentido nesse assunto.

Tomar sorvete piora a dor de garganta.

Mito e verdade. O gelado do sorvete pode, sim, aliviar a sensação de dor. Esse efeito, no entanto, é momentâneo. Por isso, se a dor de garganta for apenas irritativa – causada por poluição, por exemplo –, a afirmação é um mito. O sorvete não piora esse tipo de dor. Pelo contrário, o gelo pode, sim, ser um bom aliado para aliviar essa sensação. Por outro lado, se a dor de garganta tiver causa infecciosa – ou seja, se for causada por vírus ou bactérias –, tomar sorvete pode piorar tudo. Nesse caso, a afirmação é verdadeira porque o gelado paralisa os cílios da mucosa, que são uma proteção da garganta. Sem essa proteção, a infecção pode mesmo piorar.

Oscilação de temperatura pode causar dor de garganta.

Verdade. Mudanças bruscas de temperatura prejudicam a mucosa respiratória e a imunidade das pessoas, o que facilita o ataque de vírus e bactérias. A exposição a ambientes com ar condicionado muito forte é outro fator prejudicial à saúde. Novamente, isso ocorre porque a garganta tem cílios que funcionam como defesa do organismo e, quando a temperatura cai bruscamente, o movimento desses cílios diminui e a defesa do organismo fica enfraquecida.

Ar condicionado, ar seco e poluição são causas da dor de garganta.

Verdade. Ar condicionado, ar seco e poluição são responsáveis por muitos casos de faringite não infecciosa, aquela que não é causada nem por vírus nem por bactéria. O ar condicionado, por exemplo, ao retirar a umidade do ar, causa ressecamento das vias aéreas e pode deixar a garganta com aquela sensação de estar “arranhando”.

Alguns alimentos “arranham” a garganta.

Verdade. Pimenta, vinagre, gengibre e até frutas muito ácidas, como laranja ou limão, podem irritar a mucosa da garganta. Se você já estiver com alguma inflamação, essas substâncias agressoras têm grande chance de piorar o quadro. O gengibre, por exemplo, até pode dar um alívio momentâneo, mas, em grande quantidade, vai deixar a garganta mais irritada.

Continua após a publicidade

Todas as pastilhas possuem anestésico.

Mito. Nem todas as pastilhas possuem anestésico. As que são compostas por flurbiprofeno, por exemplo, têm propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Elas aliviam a dor rapidamente, mas não são anestésicas. É o caso de Strepsils(*), que não possui anestésico em sua fórmula.

Só pastilha com anestésico na fórmula é bom para a dor de garganta.

Mito. Existem formas não anestésicas de aliviar a dor de garganta, como pastilhas com flurbiprofeno, que possui potentes propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Já pastilhas com anestésico podem dar a sensação de que uma infecção está sob controle mesmo quando ela está se intensificando e, muitas vezes, modificam temporariamente o paladar.

 


Strepsils não possui anestésico em sua fórmula. Strepsils é o especialista em dor de garganta, não importa o momento. Possui dupla ação, é analgésico e anti-inflamatório, com alívio rápido por até três horas. STREPSILS® (flurbiprofeno) M.S. 1.7390.0003. Indicado para alívio da inflamação da garganta. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Julho/2017.
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.