Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Ortodontia muito além da estética

Tratamentos ortodônticos influenciam em vários aspectos da saúde bucal. Especialista explica

Por Braz Antunes, ortodontista*
17 dez 2022, 09h24

Grande parte das pessoas acredita que os tratamentos ortodônticos estão relacionados à estética, porém, eles influenciam em diversos aspectos da saúde bucal. Sendo assim, o ortodontista exerce um importante papel, garantindo o alinhamento dos dentes com arcadas saudáveis e funcionais.

A ortodontia faz correção de desempenhos necessários para elevar questões de saúde como:

  • Corrigir a mordida cruzada
  • Restabelecer a mastigação
  • Posicionar os dentes corretamente em harmonia com os maxilares e a face
  • Fechar os diastemas (espaço entre os dentes da frente)
  • Fazer com que a pessoa respire corretamente
  • Ajudar na correção da dicção
Compartilhe essa matéria via:

Se analisarmos, todos são benefícios para a saúde – e também associados ao bem-estar estético. Os dentes que não têm encaixe correto ou estão mal posicionados dificultam a higienização da boca e ainda favorecem o aparecimento de cárie, mau hálito e, principalmente, doenças periodontais que podem resultar em perdas dentárias.

Continua após a publicidade

Além disso, os dentes mal posicionados prejudicam a forma adequada da respiração, e a má oclusão, se não tratada, tem potencial para afetar o funcionamento dos músculos da face, causando problemas na dicção e na estética funcional.

Tratamento deve ser personalizado

Mas, claro, cada caso é um caso. Uma pessoa pode desenvolver algumas dessas condições por falta de tratamento ortodôntico – ou não.

Quem deve fazer essa avaliação (seja para a criança, o adolescente ou o adulto) é o cirurgião-dentista, em especial o ortodontista. Por isso, as consultas odontológicas desde a primeira infância são determinantes.

Continua após a publicidade

As primeiras orientações sobre ortodontia devem ser dadas à mãe, ainda durante a gestação. É nesse período que o odontopediatra orientará os pais sobre como serão os cuidados com a saúde bucal do bebê, além de já criar o hábito de fazer consultas odontológicas regulares.

O que determina se uma criança precisará fazer o tratamento ortodôntico corretivo ou não é a fase do desenvolvimento e da dentição em que ela está.

+ Leia também: O impacto da reabilitação oral na autoestima dos brasileiros

Avaliação inicial

Os dentes nascem em um movimento de rotação, em que as raízes são importantes para sua erupção. Naturalmente, a dentição permanente auxilia na reabsorção da raiz dos decíduos (dentes de leite) e, nesse processo, há uma harmonia entre a queda de um dente e o nascimento do outro.

Ao se desenvolver, os dentes da arcada superior procuram seus antagonistas na arcada inferior para o encaixe com a boca fechada. É nessa fase que o ortodontista pode observar se o encaixe está correto ou não.

Então, se o dente de leite cai antecipadamente ou fora do tempo, não contribui para que o processo seja concluído de maneira correta. Afinal, dizemos que os dentes de leite são os guias para os permanentes. Por isso, eles devem ter a mesma atenção que os dentes permanentes.

Continua após a publicidade

Se a raiz se forma antes de o dente erupcionar, esse dente poderá não nascer, ficando incluso, o que precisa ser corrigido com aparelho ortodôntico ou, em alguns casos, com a associação da intervenção cirúrgica.

A correção ortodôntica requer movimentos suaves e com forças leves, o que propõe um tratamento a médio prazo.

+ Leia também: A nova geração de aparelhos para os dentes

Tratamentos

Dentro dessa perspectiva, há uma série de formas para trabalhar a correção ortodôntica. E, atualmente, com a evolução da ciência e da tecnologia, existe um grande leque de opções à disposição do profissional.

A mais recente é o alinhador transparente, planejado digitalmente para fazer correções por meio de movimentações leves.

Mas, ainda hoje, os aparelhos fixos e removíveis são bastante utilizados, assim como o aparelho autoligado e até mesmo a versão lingual.

Continua após a publicidade

É importante frisar que todo o diagnóstico e plano de tratamento ortodôntico serão definidos pelo cirurgião-dentista especializado, que escolherá a melhor opção ao paciente.

Ainda assim, é válido ressaltar que, quanto mais cedo a criança for ao cirurgião-dentista, mais cedo o profissional identificará se há algum problema na dentição dela.

Desse modo, iniciará a ortodontia preventiva, que poderá evitar problemas odontológicos ao longo de toda a vida do indivíduo.

Continua após a publicidade

Braz Antunes é mestre em Ortodontia e presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.