Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Miséria hereditária: a exclusão social contra a ordem e o progresso

Professor discute como problemas de origem socioeconômica, como desnutrição e falta de educação e atividade lúdica, comprometem gerações de brasileiros

Por Marcos Emílio Frizzo, neurocientista e escritor*
Atualizado em 1 mar 2023, 13h42 - Publicado em 1 mar 2023, 09h53

A exclusão na sociedade atual atinge diversos níveis e formas. E o fato é que o desenvolvimento tecnológico não alcança todas as camadas sociais, assim como as oportunidades de trabalho qualificado.

O acesso a educação e a qualificação ocupacional tem relação direta com melhores salários e perspectivas de ascensão profissional. E o domínio de novas tecnologias se mostra essencial nesse processo.

Entretanto, os efeitos da desigualdade e da exclusão social são complexos. Eles não afetam apenas indivíduos isolados, comprometem grupos por gerações.

Uma sociedade moderna deve considerar a inclusão como algo sério. Não existe margem para negociação quando falamos de diferenças de acesso, de oportunidade e de desenvolvimento humano. Por que não? Vamos pensar juntos.

A desnutrição na infância compromete a riqueza de conexões entre os neurônios. Em outras palavras, reduz o número e a eficiência desses contatos. Mas não é apenas a falta de alimento que pode afetar o desenvolvimento cerebral. Brincadeiras e jogos também são estímulos fundamentais para a organização adequada do cérebro.

E o que dizer do afeto? Este tem um papel crítico na maturação dos sistemas imunológico e nervoso.

Continua após a publicidade

Uma criança malnutrida pode apresentar dificuldades de aprendizado e tornar-se um adulto menos qualificado para o mercado de trabalho. Um trabalhador mal remunerado e, por consequência, menos satisfeito.

+ LEIA TAMBÉM: O perigo de doenças já eliminadas voltarem ao Brasil

É muito provável que sua família não tenha uma boa alimentação e que não exista tempo para carinhos e brincadeiras em casa. Isso sem considerar aqueles casos em que sequer existe trabalho e a exclusão social é total. As consequências para as crianças são gravíssimas.

O resultado da exclusão é uma herança de exclusão. Apesar de não haver nenhuma base genética conhecida para a miséria, ela pode, sim, ser herdada. Passar de pais para filhos. Eis a miséria hereditária.

Refiro-me a algo tão grave que não será resolvido com vitaminas e dietas especiais, nem com professores particulares ou cotas sociais. Falamos de cidadãos que não puderam atingir o pleno desenvolvimento cerebral porque foram desnutridos na infância, porque não tiveram atividades lúdicas, nem o afeto dos pais.

Continua após a publicidade

A questão exige políticas públicas eficazes com a máxima urgência. Não se trata de solidariedade, mas de humanidade.

Compartilhe essa matéria via:

* Marcos Emílio Frizzo é pós-doutor em neurociências e professor titular do Departamento de Ciências Morfológicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Autor do livro As Veias Escuras do Saara (Almalinda), na literatura aborda questões sociais e existenciais

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.