Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Informação, vacina, exame: a tríade contra o câncer de colo do útero

Médica chama a atenção para um problema de saúde pública que pode ser erradicado com vacinação e check-ups periódicos

Por Larissa Gomes, oncologista*
21 mar 2023, 09h09

Uma doença assombra as brasileiras, o câncer de colo de útero. A projeção para o triênio 2023-2025 é que ele atingirá mais de 17 mil mulheres no país.

O dado vem do Instituto Nacional de Câncer (Inca), que ainda aponta que esse é o terceiro tipo de tumor que mais afeta o público feminino. São cerca de 13 em cada 100 mil casos da doença.

Talvez você não saiba, mas o papilomavírus humano (o HPV) é o principal responsável pelo problema, ocorrendo em aproximadamente 99% dos casos.

A infecção pelo HPV é autolimitada e apenas 10% das pacientes terão alterações capazes de evoluir para o câncer de colo do útero. Mas, ao mesmo tempo, esse é um agente infeccioso altamente disseminado e prevalente. Em números globais, seu estrago é enorme para a saúde pública.

+ LEIA TAMBÉM: Novas fronteiras no cerco ao câncer

Daí a vacinação ser um recurso de extrema importância na prevenção do tumor. Hoje, ela está disponível de forma gratuita pelo SUS a meninas e meninos na faixa de 9 a 14 anos. E pessoas de outras idades conseguem se vacinar na rede particular.

Continua após a publicidade

Mais recentemente, a vacinação também se estendeu às pessoas que moram ou convivem com imunossuprimidos pelo vírus HIV, transplantados ou portadores de outros tipos de câncer até os 45 anos.

É estimado que oito em cada dez mulheres tenham contato com o HPV em algum momento da vida por meio de relações sexuais (cabe lembrar que o preservativo não inibe completamente a transmissão). Embora a imunização não proteja contra os 150 tipos do vírus, ela é capaz de barrar os tipos 16 e 18, responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero.

Além da vacinação, o papanicolau é um exame essencial ao diagnóstico precoce. Ele permite identificar antecipadamente lesões pré-cancerosas, geralmente descobertas com maior frequência que a doença em si.

O exame é recomendado dos 25 aos 64 anos de idade, anualmente e, depois, a cada três anos, mesmo que a mulher já seja vacinada contra o HPV.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR
Continua após a publicidade

Apesar de a maioria dos episódios de câncer de colo do útero ocorrer entre 35 e 44 anos, o problema pode acontecer em qualquer idade. E, na fase inicial, a doença costuma ser assintomática. Às vezes pacientes relatam dor na relação sexual ou sangramento vaginal não relacionado à menstruação.

Nos casos avançados, porém, há anemia, perda de peso não justificada, problemas urinários e intestinais, dor nas pernas, fraqueza… Nenhum sintoma deve ser ignorado. E, quanto antes descobrirmos a doença, maiores as chances de sucesso no tratamento.

No entanto, podemos nos antecipar, fazendo check-ups periódicos e vacinando a população contra o HPV. Cuidado com as fake news sobre câncer e vacina. Lembre-se de que a informação confiável é um recurso fundamental para a prevenção e o diagnóstico precoce.

Compartilhe essa matéria via:

* Larissa Gomes é oncologista da Oncoclínicas, em São Paulo

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.