Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Como fica a sexualidade na menopausa

Existe, sim, sexo após a menopausa. Cada vez mais mulheres acima de 40 buscam conhecimento e ajuda profissional para uma vida sexual mais ativa

Por Paula Fettback, ginecologista*
22 mar 2024, 12h01

O termo popularizado como menopausa é na verdade um conceito médico, definido como a ausência de ciclos menstruais por 12 meses consecutivos, terminando assim o período reprodutivo feminino. Na realidade, essa fase de transição na vida da mulher é denominada climatério, e compreende os temidos sintomas da queda dos hormônios produzidos pelos ovários.

Em média, o climatério se inicia cerca de cinco anos antes da parada completa da menstruação, com a queda progressiva de três principais hormônios: progesterona, testosterona e estradiol.

Um dos primeiros sintomas do climatério consiste na irregularidade menstrual geralmente com encurtamento dos ciclos ou mudança do padrão de sangramento. Pode também ser acompanhado por fadiga, diminuição da libido, ondas de calor, perda urinária aos esforços, insônia, dor articular, alteração de memória e pele e vagina secas.

A questão é que esse evento acontece entre os 40 e 55 anos, fase em que, na sociedade atual, muitas mulheres estão no auge de suas carreiras e relacionamentos, engravidando e formando uma família, sentindo-se plenas e seguras em seu estado físico e mental. E de repente, de uma hora para outra, isso pode mudar radicalmente.

+Leia também: Insônia nunca mais: os caminhos para superar o problema

Em um universo no qual a autocobrança e as pressões sociais têm se tornado cada vez mais presentes, uma das principais dificuldades pode vir a ser o relacionamento sexual. Isso resulta de mudanças e inseguranças corporais, falta de informação dos médicos e apoio dos companheiros.

É fundamental nesse contexto ressaltar que as mulheres podem e devem procurar ajuda multidisciplinar com profissionais especializados no que tange aos cuidados nesse período tão delicado.

Existem tratamentos que auxiliam na sexualidade e amenizam os sintomas do climatério, como a terapia hormonal (supervisionada por profissionais experientes), fisioterapia pélvica, pompoarismo, psicoterapia, laser vaginal e uso de alguns fitoterápicos, lubrificantes íntimos e hidratantes vaginais. Além disso, é essencial que a mulher adote hábitos de vida saudáveis, como uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos.

Sou ginecologista há 20 anos. Olhando para trás, como médica e mulher, vejo que vivenciei e passei por diversas mudanças ao lado de minhas pacientes. Ao perceber a necessidade de apoio durante o climatério, busquei me aperfeiçoar nas terapias médicas disponíveis para alívio e controle dos sintomas.

Continua após a publicidade

Esse período não precisa ser sinônimo de sofrimento e baixa autoestima. Ele deve ser leve, inclusive porque é somente mais uma página deste livro que se chama vida.

A menopausa virá para todas nós, e está tudo bem. Sim, existe sexo após a menopausa. E acredite: com a maturidade e autoconhecimento, ele pode se tornar ainda melhor, livre de tabus, julgamentos e preconceitos.

*Paula Beatriz Tavares Fettback é ginecologista especialista em Reprodução Humana e doutora em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.