saudeLOGO Created with Sketch.

Saiba o que providenciar para garantir uma boa viagem ao seu cachorro

Malas prontas. Bagageiro cheio. Agora, só falta garantir que o seu cão fará uma boa viagem

Saiba o que providenciar para garantir uma boa viagem ao seu cachorro

Não descuide da segurança: seu cão deve viajar amarrado em um cinto de segurança apropriado
Foto: Getty Images

Enquanto para alguns bichinhos de estimação passeios são diversão, outros se sentem mal, vomitam, ficam irritados e não param de latir e rosnar. Por isso, antes cair na estrada, garanta que o animal está confortável no carro, o que é fundamental para que ninguém se estresse durante o trajeto – nem ele nem você.

Segundo a The Royal Society for the Prevention of Accidents, entidade britânica que visa prevenir diversos contratempos, os cães devem ser amarrados em cintos de segurança apropriados ou viajar em caixas para esse fim, que sempre devem ficar no banco traseiro, nunca no porta-malas, muito menos ao lado do motorista. “Lembre-se, também, de levar alguns brinquedos para o animal se sentir menos entediado”, orienta adestradora Tatiane Ichitani, de São Paulo.

Com o bicho acomodado, pode dar a partida – mas não exagere no ar condicionado, porque as mucosas do nariz do seu amigo são ultrassensíveis, tanto ao frio quanto à baixa umidade. Prefira abrir um pouco as janelas para deixar o vento entrar. Isso não será suficiente para refrescar todos os passageiros se você decidir sair nos horários mais quentes do dia. Então, evite-os. Também maneire no volume do som. “O cachorro possui um aparelho auditivo muito mais sensível que o dos humanos. A música alta pode deixá-lo estressado”, justifica Tatiane.

Não descuide da segurança. Um focinho para fora do carro pode até fazer parte da paisagem da maioria das nossas estradas. Mas o motorista não sabe que, ao permitir que o animal coloque a cabeça na janela, fica sujeito a multas. “Sem contar que, viajando desse jeito, o cão pode até ser atingindo por pedriscos e outros objetos capazes de machucar”, alerta o veterinário Marcel Pereira, da Merial Saúde Animal, também de São Paulo.

As curvas do trajeto fazem com que alguns cachorros sintam-se enjoados. É que o sacolejar do veículo afeta o sistema vestibular dos animais, responsável pelo seu equilíbrio. Para prevenir qualquer transtorno, muita gente prefere dar um remédio antiemético, isto é, contra náuseas. “Quem pretende fazer isso deve visitar um veterinário, que indicará a dosagem certa”, explica o veterinário Eduardo Fava Schmidt, de São Paulo. Outro bom conselho é não alimentar o animal até três horas antes do passeio.

Nas viagens longas, mesmo que você e outros companheiros de viagem aguentem firme mais alguns quilômetros, faça paradas. Os cachorros precisam alongar as patas, beber água e, claro, fazer suas necessidades. E, se a ideia é atravessar a fronteira de carro, saiba que os bichos devem ter um passaporte de trânsito, com dados sobre a sua saúde, emitido pelo governo federal.
 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s