saudeLOGO Created with Sketch.

Novo método contra a impotência

Já aprovado em mais de 10 países, dispositivo que chegou agora ao Brasil é uma nova alternativa para tratar o problema sexual masculino

Uma máquina que emite ondas de choque é a nova esperança para homens que têm disfunção erétil. Liberado pelas agências regulatórias brasileiras no final de dezembro, o Renova facilita a ereção ao estimular o fluxo sanguíneo para o pênis. O aparelho emite 5 mil pulsos de baixa intensidade em cada uma das quatro sessões necessárias para se obter alguma melhora. O paciente não sente dores na região, apenas uma leve cócega. De acordo com os pesquisadores, até agora nenhum efeito colateral foi relatado.

“A nova terapia é indicada especialmente para indivíduos com alguma doença que prejudica os vasos, como diabete, hipertensão ou colesterol alto, o que diminui o aporte de sangue para o local”, diz o urologista Wagner Raiter José, de São Paulo, um dos primeiros a testar o dispositivo no país em seus pacientes.

Mas, antes de se valer de qualquer tratamento, é importante que o indivíduo com dificuldades sexuais procure a ajuda do médico. Muitos fatores podem atrapalhar a ereção e, para cada um, há uma abordagem mais indicada. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia mostram que problemas de ereção atingem 6 milhões de brasileiros — e 95% deles demoram uma média de 3 anos e meio para marcar uma consulta com o especialista. A vergonha e o tabu de falar sobre o tema é apontado como um dos principais fatores que inibem o público masculino a procurar o doutor.

Outros tratamentos para a encrenca

Remédios orais

O citrato de sildenafila, a famosa pílula azul, revolucionou o combate à disfunção erétil desde que foi lançada, no final dos anos 1990. É a principal saída para o problema na maioria dos casos.

Injeções

Promove a ereção em poucos minutos. Feitas de prostaglandina e outras substâncias, são prescritas quando os comprimidos não dão conta do recado. Porém, muitos pacientes não se acostumam com as agulhadas.

Próteses

Colocadas dentro do pênis, possuem mecanismos para que o material fique rígido ou flácido a depender da ocasião. Há modelos semirrígidos, articulados ou com um sistema hidráulico.